Política

Mais uma Fake News: Bolsonaro sanciona anistia a partidos após dizer que havia vetado

As manobras do governo Bolsonaro não param. Após desmentir a mídia de que havia sancionado alteração na Lei dos Partidos que anistiaria multas de partidos, dizendo que na verdade havia vetado a lei, hoje a sanção foi publicada no diário oficial e entra em vigor imediatamente.

segunda-feira 20 de maio| Edição do dia

O texto sancionado com apenas um veto no trecho que previa a anistia em caso de doação de servidores públicos, perdoa multas decorrentes da não aplicação de ao menos 5% das verbas publicas para a promoção de difusão da participação politica das mulheres. As alterações na lei que entraram em vigor nessa segunda-feira (20) diz que os partidos que não cumpriram com as exigências da promoção de candidaturas femininas até as eleições de 2018 "não poderão ter suas contas rejeitadas ou sofrer qualquer outra penalidade".

Outro trecho da lei sancionada autoriza que partidos que ainda tiverem saldo do que era previsto para as candidaturas de mulheres poderão utilizá-lo na criação e manutenção de programas que difundam a participação das mulheres até o exercício de 2020, como forma de compensação.

Vale lembrar que o PSL, partido de Jair Bolsonaro, é investigado em Minas Gerais e Pernambuco sob suspeita de desvio de recursos públicos por meio de candidaturas femininas de fachada.

Leia Também: Ministro de Bolsonaro usou mulheres como laranjas para desviar dinheiro

Partido de Bolsonaro teve candidata laranja no Pernambuco

Bolsonaro que declarou que havia vetado o projeto de lei no sábado, onde na verdade vetou apenas um trecho do projeto. Isso mostra a manobra que faz em seu
discurso de ser contra a "velha casta política" e os privilégios que recebem, querendo se mostrar mais fiel a sua base de apoiadores mais "dura" e de extrema direita. Com isso, se mostrou desconfortável com a ideia de sancionar uma lei que concede anistia a legendas, pois essa sanção vai contra a sua critica a "velha politica". A verdade é que o presidente, apesar do discurso de "nova política", se vê fechando acordos com o que ele chama de "velha política" . A sanção dessa lei é um exemplo disso, e todos os acordos que estão em tramite para a reforma da previdência também.

Bolsonaro que foi deputado por 27 anos, sempre esteve em consonância com a "velha política" e apesar de discursar contra ela, sendo inclusive um dos pontos elementares para sua eleição, mostra mais uma vez que seus discursos são vazios. A cara da extrema direita que assume não tem forças para suprimir os acordos parlamentares e fica cada vez mais claro que para fazer com que os trabalhadores paguem pela crise capitalista vale tudo.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar