Negr@s

#BLACKLIVESMATTER

Mais um negro assassinado por policiais reacende protestos nos EUA

segunda-feira 15 de agosto| Edição do dia

A noite do último domingo (15) foi a segunda seguida de protestos na cidade de Milwaukee contra a morte do jovem negro Sylville Smith, de 23 anos, que ocorreu na tarde de sábado (14) vitima de vários disparos da arma de policiais da cidade. O grito de "Black Lives Matter" (As vidas dos negros importa) voltou à ser ouvido nos EUA.

Sylville K. Smith, estava num parque quando foi abordado por policiais que disseram que dispararam quando perceberam que o jovem se virou e estava armado, Smith foi morto por ferimentos no peito e nos braços causados pelos policiais, a família e amigos disseram que ele tinha porte de arma. A polícia da cidade declarou ainda que o policial que atirou em Smith era negro, mas não deu a identidade do soldado nem mesmo disponibilizou as imagens da câmera que eles carregavam consigo. A noticia da morte do jovem se espalhou pela cidade e gerou descontentamento e protestos espontâneos em várias áreas da cidade e principalmente nas proximidades do Sherman Park onde ele foi assassinado,

A resposta das autoridades é sempre mais repressão para conter a raiva da juventude. No domingo os jovens voltaram a tomar as ruas e o clima de revolta permanecia, a guarda nacional foi acionada pelo governador do estado Scott Walker com a desculpa de conter saques e destruição de vitrines de lojas para reprimir os manifestantes que resistiram pelas ruas da cidade, houveram presos e alguns ficaram feridos gravemente, incluindo um jovem de 18 anos. O prefeito da cidade, buscando conter a revolta da população, fez uma declaração apelando para que os pais dos jovens manifestantes chamassem seus filhos à não participar dos atos "antes que hajam mais problemas", porém os chamados pelas redes sociais continuaram a se espalhar.

A cidade de Milwaukee é a mais populosa do estado de Wisconsin e essa enorme população é marcada pelas contradições sociais entre brancos e negros, sendo considerada uma das piores cidades norte americanas para um negro viver. Algumas estatísticas comprovam isso, no quesito "violência policial". mesmo sendo apenas 18% da população da cidade, os jovens negros são 90% dos assassinados pela polícia e 11,9% deles superlotam as penitenciárias contra apenas 1% da população branca. O desemprego atinge 20% da população negra da cidade, percentual cinco vezes maior do que para os brancos, o que resulta em que 39% dos cidadãos que vivem na pobreza são negros, contra apenas 8% de brancos. Nos bairros pobres vivem apenas 1,6% da população branca da cidade e 33% da população negra, entre os estudantes das piores escolas públicas, 78% são jovens negros.

No seio do maior império capitalista da terra as lutas raciais surgem como um inevitável grito de resistência da juventude de um povo que luta pelo direito de viver. A cada caso, de violência policial contra um negro a chama dessa resistência reacende e continua a avançar até que aprendam que nossas vidas, as vidas dos negros, importam!




Tópicos relacionados

Questão Negra   /    Racismo EUA   /    Racismo   /    Violência Policial   /    Estados Unidos   /    Negr@s   /    Internacional

Comentários

Comentar