Política

CRIVELLA VENCE FREIXO

Mais de um milhão de votos no Rio mostram força para lutar contra os ataques de Temer

domingo 30 de outubro| Edição do dia

Foto: Milhares na Cinelândia esperando os resultados. Fonte: Facebook de Marcelo Freixo

O candidato do PRB, Marcelo Crivella venceu as eleições no Rio de Janeiro. A vitória de Crivella acontece em meio a um fortalecimento da direita nas eleições em todo país. Mas mostrou como no Rio de Janeiro, diferente do restante do país, houve uma mostra eleitoral da vontade de resistir aos ataques de Temer.

Enquanto Temer acabou com várias disciplinas no ensino médio por decreto, mais de mil escolas foram ocupadas em resposta. Enquanto o judiciário vai aprovando várias medidas da reforma trabalhista e previdenciária, o congresso vai aprovando a PEC para destruir a saúde e educação pública, em todo país universidades vão sendo tomadas e trabalhadores do setor público vão cruzando os braços contra esses ataques. No Rio essas lutas se expressam nas ocupações e greves mas também nos mais de um milhão de votantes de Freixo. Esses votos são uma base para organizar a resistência contra todos esses ataques.

O PT esteve longe de expressar essa vontade de lutar contra Temer. Foi derrotado por imensas margens na maioria das poucas cidades que disputou o segundo turno não obtendo nenhuma prefeitura no ABC paulista e inclusive onde seguia com alguma força, na região nordeste, não terá prefeitos em nenhuma cidade com mais de 200 mil habitantes. A derrota eleitoral do PT é inseparável da passividade desse partido frente ao golpe que o tirou do poder e da paralisia da burocracia sindical petista frente aos ataques do governo Temer. Diferente dos resultados nacionais, o Rio de Janeiro mostra como há um grande espaço para organizar a luta contra os ataques do governo Temer.

Os votos em Marcelo Freixo do PSOL, apesar de suas tentativas de mostrar para os empresários que poderiam confiar nele, expressam essa força que pode ser organizada para lutar contra os golpistas.

Carolina Cacau, ex-candidata a Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro do MRT pelo PSOL e colunista do Esquerda Diário comentou esse resultado. "Todas as ocupações, greves e lutas em curso e esse movimento que resultou em mais de um milhão de votos são um ponto de apoio para organizar uma grande força para enfrentar os ajustes de Temer. Devemos batalhar pra fazer do Rio, que foi um contraponto nacional ao fortalecimento da direita, um grande impulso na resistência a todos ataques dos golpistas e da direita. É com essa perspectiva que nós do MRT e do Esquerda Diário participamos sem nenhum sectarismo desse movimento, batalhando por um programa anticapitalista, confiando que os trabalhadores e jovens podem avançar nesta perspectiva e fazer desses votos uma força contra Crivella, Pezão e Temer. Esse movimento deve começar por cercar de solidariedade as mais de mil ocupações de escolas e universidades em todo o pais, apoiar as greves que começaram a acontecer nas universidades de todo país contra a PEC 241 e outras medidas de Temer, e todas as demais lutas que estão em curso contra os ataques da direita e da patronal. Exigimos que a CUT, CTB e os sindicatos dirigidos pelo PT rompam com sua trégua com Temer e coloquem suas forças a serviço dessas batalhas para que possam ser verdadeiramente massivas e vencer".


Carolina Cacau foi candidata a vereadora do MRT pelo PSOL no Rio de Janeiro. É professora da rede pública e estudante da UERJ. Acompanhe sua página de Facebook, onde estão expressas suas propostas e do MRT. Acompanhe a agenda de atividades que estamos organizando pelo Esquerda Diário, que teve mais de 200mil acessos só no Rio de Janeiro durante as eleições pra debater um programa anticapitalista pro Rio de Janeiro e a construção desta força militante




Tópicos relacionados

Eleições Rio de Janeiro   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar