Educação

CRECHE CAMPINAS

Mais de 5700 crianças estão sem vagas nas creches de Campinas

Milhares de crianças esperam por vagas nas creches de Campinas. Ao invés de alarme, prefeitura faz propaganda.

quinta-feira 22 de março| Edição do dia

Dois anos é a média de espera para milhares de mães e pais que buscam matricular seus filhos no Ensino Infantil municipal de Campinas. Diante dessa situação alarmante alguns país entram com processos judiciais na busca de garantir o direito à educação de seus filhos, mas a maioria se vê obrigada a recorrer a outras alternativas, muitas vezes tendo que pagar, para garantir o cuidado e educação dos filhos.

As estatísticas mostram que a demanda por vagas nas creches municipais não é atendida ano após ano e que a abertura de novas vagas por parte da prefeitura está distante garantir esse direito fundamental de milhares de crianças e suas famílias.

Nos últimos dois anos o déficit de vagas esteve próximo a 7 mil crianças nas filas de espera, sendo que atualmente está em 5754. Mesmo já expressando a urgência por vagas e atendimento a essas crianças, as estatísticas escondem milhares de famílias que precisam recorrer a outras vias para garantir a educação básica e terminam desistindo das listas de espera.

Muitas mães são obrigadas a deixar seus trabalhos fora de casa para cuidar dos filhos que não conseguiram matrícula. O que não só interfere no direito elementar à maternidade que deveria ser assegurado pelo Estado, mas também aumenta as dificuldades financeiras de muitas famílias. Também em vários casos a falta de vagas interfere inclusive na própria educação das mães e pais, pois estes não podem deixar seus na creche para seguirem seus próprios estudos.

Outra medida que é bastante comum é a entrega das crianças para cuidados privados em ambientes domésticos, onde se têm um custo, mas muitas vezes traz insegurança já que não são oferecidas garantias profissionais e educacionais que o Estado deveria garantir a todas as crianças que precisam.

Servidores que trabalham na Educação Infantil reclamam que existe superlotação nas creches, o que prejudica a qualidade do serviço prestado. A prefeitura se mostra tranquila, a despeito do desespero de tantos pais. Afirma que “medidas foram tomadas”, mas as próprias estatísticas que apresentam mostram insuficiência. No início do ano Jonas presenteou a população de Campinas com um tarifaço com aumentos nas contas de água, IPTU e passagem de ônibus, o que traz a certeza aos trabalhadores de que seus direitos não são hierarquia. O atestado dessa verdade está no fato de que todos os serviços públicos estão em crise, com destaque para o escândalo de corrupção no Hospital Ouro Verde, onde até o prefeito está sendo investigado, milhões foram desviados e o caos na saúde ameaça milhares de vidas todos os dias.

É preciso que a prefeitura dê prioridade para garantir a abertura de vagas que satisfaça toda a demanda e que contrate novos professores e funcionários para realizar o serviço nas escolas infantis municipais.




Tópicos relacionados

Jonas Donizette (PSB)   /    Mulheres   /    luta por creches   /    Educação   /    Educação   /    Campinas

Comentários

Comentar