Política

ESQUERDA DIÁRIO NO RIO DE JANEIRO

Mais de 200 mil acessos no Esquerda Diário no Rio de Janeiro durante as eleições

Desde setembro, o Esquerda Diário atravessou três meses de intensa cobertura das eleições e lutas no Rio de Janeiro, e vem se consolidando cada vez mais como uma importante alternativa dos trabalhadores e da esquerda para os que procuram uma informação pela esquerda no estado.

sábado 29 de outubro| Edição do dia

A partir do mês de setembro, com a abertura do período eleitoral, o Esquerda Diário passou a cobrir de forma intensiva os acontecimentos das eleições na capital do Rio de Janeiro, dando destaque não apenas à corrida pela prefeitura – uma das mais importantes pelas centenas de milhares que buscaram uma alternativa pela esquerda do PT e votaram em Marcelo Freixo (PSOL) – mas também acompanhando passo a passo a candidatura anticapitalista à vereadora de Carolina Cacau, do MRT, que saiu candidata pelo PSOL.

Desde antes do período eleitoral oficial, o Esquerda Diário cumpriu um forte papel em tratar da candidatura de Marcelo Freixo, que, por ser de um partido de esquerda e não coligado com grandes empresários, sofreu boicote da grande mídia patronal. Veiculamos o vídeo de lançamento de sua pré-candidatura e também denunciamos como os candidatos patronais se utilizaram da reacionária reforma eleitoral aplicada por Eduardo Cunha para vetar a participação do candidato do PSOL no primeiro debate, bem como a de Cyro Garcia, candidato do PSTU, e Thelma Maria, do PCO. Ao mesmo tempo em que defendíamos a participação de toda a esquerda no debate, apresentamos uma crítica ao pacto de “não agressão” que Freixo fez com Jandira Feghali (PCdoB), que foi secretária de Paes, e Alessandro Molon, do partido patronal Rede. Também cobrimos o debate alternativo que Freixo realizou na Cinelândia ao ser vetado de participar na Bandeirantes, bem como fizemos a cobertura do debate oficial, mostrando que sem a esquerda ele se tornava um “bate-papo” entre os ex-secretários de Pezão, Cabral e Paes.

Ressaltamos a importância da atividade de lançamento da pré-candidatura de Carolina Cacau, que reuniu cerca de cem trabalhadores e estudantes dispostos a militar para construir uma forte voz anticapitalista nas eleições cariocas. Sem contar com financiamento privado de nenhum tipo, com todo o peso da censura que o regime eleitoral impõe sobre candidaturas operárias independentes, Cacau fez uma campanha militante com a força de dezenas de apoiadores entre a juventude e trabalhadores, e no Esquerda Diário repercutimos alguns pontos fundamentais dessa campanha, como os vídeos de sua campanha que foram divulgados pela internet e listas de Whatsapp, e seu manifesto programático. A candidatura de Cacau mostrou força, pois mesmo concorrendo pela primeira vez e com todo o peso da censura eleitoral patronal, conquistou 1842 votos em uma alternativa dos trabalhadores e anticapitalista, chegando a mais de 8 mil votos junto às 4 outras candidaturas anticapitalistas do MRT.

Durante o período eleitoral, o Esquerda Diário também cobriu as importantes mobilizações contra Temer e os golpistas que reuniram milhares de pessoas.

Temos orgulho de ter colocado nossas forças para denunciar fortemente os candidatos patronais e tudo o que a mídia não mostra a respeito deles, como com os artigos de Cacau 11 motivos para não votar em Pedro Paulo (mais de 3 mil acessos), 7 motivos para não votar em Jandira Feghali (mais de 3 mil acessos) e doze motivos para não votar em Marcelo Crivella (mais de 100 mil acessos).

No segundo turno, seguimos com uma importante denúncia da candidatura do conservador e golpista Crivella, e Cacau ofereceu aos nossos leitores dez novos motivos para não votar em Crivella (mais de 10 mil acessos), além de denunciar sua procura por apoio de Bolsonaro, Kassab e Aécio e também outras buscas do candidato por apoio da direita golpista e o apoio de Bolsonaro a ele; sua entrevista a Jô Soares em que afirma que a “homossexualidade não é natural e é um pecado; ainda enquanto Freixo estava com sua postura mais diplomática de não agredir Crivella, o Esquerda Diário expôs a profunda ligação do bispo com Garotinho e a ligação de Indio da Costa com Crivella. Mostramos como Crivella utiliza sua influência na Rede Record, de seu tio Edir Macedo, para conseguir o apoio de figuras como Wagner Montes. Mostramos como a justiça eleitoral realizou perseguição à campanha de Freixo em escolas e também na UFRJ, enquanto nas Igrejas Universais e afins a campanha para Crivella seguia tranquilamente sem fiscalização da justiça. Mostramos o apoio de Carminha Jerominho a Crivella e denunciamos o teor reacionário do livro de Crivella sobre sua “missão evangelizadora” na África ainda antes da propaganda eleitoral de Freixo. Noticiamos a aparição do nome de Crivella em delação na Operação Lava-Jato por desvio de verbas da Petrobrás para sua campanha ao Senado. Cobrimos todas as fugas de Crivella dos debates televisivos, sabatinas e entrevistas, entre as quais se destaca a sabatina no RJTV em que a Globo expôs as perguntas que faria ao bispo. Mostramos como Crivella faz uso do império midiático da Record, como no caso do site R7 para propagar calúnias contra Freixo. Noticiamos como, em decorrência de sua campanha suja, Crivella será processado pela família do cinegrafista Santiago, pela família do delegado que o prendeu em 1990 e também por Elisabete, viúva de Amarildo. Falamos sobre o perfil político e a ficha criminal dos 34 vereadores que apoiam Crivella (mais de 5 mil acessos), entre outras denúncias à podridão de Crivella e à sua farsesca propaganda de “cuidar das pessoas”. No total, foram mais de 50 artigos que falam sobre quem de fato é Marcelo Crivella.

Cacau, junto à redação do Esquerda Diário, fez um vídeo denunciando a luxuosa moradia de Crivella na Península da Barra e chamando a combater a direita com uma perspectiva anticapitalista, que já teve mais de 24 mil visualizações:

Cobrimos diversas atividades da campanha de Freixo, como seu comício com trabalhadores da saúde, o comício em Madureira, o encontro Mulheres com Freixo e Boiteux e seu último comício na Lapa, cumprindo um papel de divulgação da campanha do candidato do PSOL que não se vê na mídia patronal.

Contudo, como um diário que se propõe a apresentar uma posição de independência dos trabalhadores contra os patrões e à direita, não nos furtamos em criticar as posições de Freixo e os claros limites que sua campanha apresenta para ser uma ferramenta capaz de construir uma alternativa anticapitalista para fazer avançar nossas lutas nas greves e nos combater cotidianos. Nesse sentido, destacamos como no segundo turno Freixo procurou cada vez mais se apresentar como uma alternativa “responsável” e “ética” para setores empresariais, o que ele fez em sua entrevista ao Estadão, na entrevista à Folha de S. Paulo, na sua propaganda eleitoral televisiva, no seu “Compromisso com o Rio” (que discutimos também aqui, e na convocação da ex-secretária da Fazenda de Eduardo Paes, a neoliberal Eduarda La Rocque, para ser sua conselheira econômica.

Participando ativamente do movimento por Freixo, com a forte denúncia de Crivella e acompanhando as centenas de milhares que veem com esperança a candidatura do PSOL, trouxemos a perspectiva do MRT e de Cacau de que é necessário construir uma força anticapitalista no Rio de Janeiro para combater os patrões e a direita, e sintetizamos isso em 7 questões fundamentais nas eleições do Rio.

Nesse sentido, também fizemos um vídeo com Cacau, apoiadores e militantes de sua campanha, fazendo esse chamado aos eleitores de Freixo e os trabalhadores:

Consideramos que as lutas que vem se desenvolvendo no Rio são um importante ponto de apoio para construir essa perspectiva, somada à importante força social que se expressa nas centenas de milhares de eleitores de Freixo.

O resultado de toda essa importante cobertura do processo eleitoral e esses debates sobre a necessidade de construir uma força anticapitalista que vá para além do que Freixo vem propondo é que o Esquerda Diário se tornou uma importante referência para se informar e debater para a juventude, trabalhadores e a esquerda carioca, tendo um grande salto em seus acessos: entre setembro e outubro, foram mais de 200 mil acessos no Esquerda Diário apenas no estado do Rio de Janeiro. Uma importante conquista que mostra que o site se tornou uma importante referência na esquerda carioca, particularmente entre os votantes do Freixo, que foram 553 mil no primeiro turno e devem passar de um milhão no segundo. Queremos que cada vez mais esse diário possa ser uma ferramenta ativa para a construção das lutas e de uma força anticapitalista que possa lutar contra os patrões e a direita.




Tópicos relacionados

Eleições Rio de Janeiro   /    Esquerda Diário   /    Rio de Janeiro   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar