Mundo Operário

JORNADA DE MOBILIZAÇÕES

Mais de 10 mil nas ruas de BH em dia de paralisação da educação e de manifestação das centrais sindicais

22 de Setembro foi dia de mobilização de várias categorias em Belo Horizonte, que reuniu mais de 10 mil pessoas na rua da capital contra os ataques à educação e à saúde.

quinta-feira 22 de setembro| Edição do dia

O dia 22 de Setembro foi dia de luta e paralisação nacional contra os cortes à educação, contra as reformas da Previdência e Trabalhista, contra o PL 257, a PEC 241 e o PL 4567 e rumo à construção de greve geral. O ato unificado foi chamado pelas frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, além das centrais sindicais CUT, CTB e Conlutas, e contou com a participação de professores municipais e estaduais, bancários em greve, professores, servidores, estudantes e técnicos administrativos da UFMG (os últimos também em greve há 31 dias) e movimentos por moradia e terra.

A manifestação teve início na praça da estação, às 9 da manhã, e arrastou mais de 10 mil pessoas até a Assembleia Legislativa de Minas Gerais, onde ocorreu uma audiência pública sobre a PEC 241, às 14h.

Durante a concentração na praça da Assembleia, houve repressão, provocações da Polícia Militar e revistas aleatórias, além da prisão sem nenhum motivo de um adolescente e uso de gás de pimenta contra os manifestantes.

Flavia Valle, candidata a vereadora da cidade de Contagem, esteve na manifestação e declarou ao Esquerda Diário que “O dia de paralisação hoje mostrou que há grande disposição de luta dos trabalhadores contra os ataques do governo golpista do Temer. E mostrou também que há disposição da juventude de lutar por seus direitos e acompanhar os trabalhadores numa luta conjunta. Para isso, precisamos ter assembleias de base em todas as categorias para preparar uma grande paralisação estadual e nacional, parando os serviços e também a produção.”




Tópicos relacionados

Contagem   /    Belo Horizonte   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar