Educação

MOBILIZAÇÃO CONTRA BOLSONARO

Mais de 10 mil na UFF em Niterói-RJ: unificar juventude e trabalhadores em todo país pra derrotar os cortes na educação e a reforma da previdência de Bolsonaro

Cerca de 10 mil pessoas pararam o centro de NIterói ontem (08) e deixaram seu recado: a juventude aliada aos trabalhadores vai enfrentar Bolsonaro e defender a educação pública. Dia 15 vai ser maior!

quinta-feira 9 de maio| Edição do dia

Ontem foi um dia de luta importante em Niterói- RJ e em outros vários campi da Universidade Federal Fluminense (UFF) pelo estado do Rio. Cerca de 10 mil pessoas, estudantes, professores e funcionários da Universidade, além de pais de alunos e jovens trabalhadores de Niterói compuseram um ato vivo e combativo que recolocou em cena o movimento estudantil no Rio de de Janeiro e pode avançar para todo o país.

Os estudantes se organizaram em seus cursos, vinham em grupos com cartazes nas mãos denunciando a tentativa de destruição da educação pública. Com cantos que falavam sobre a importância da aliança entre jovens e trabalhadores na defesa da educação pública como um bem social, e também denunciavam que o governo Bolsonaro só governa pra patrão e miliciano, a multidão incendiou as ruas do centro da cidade da cidade e deixou seu recado.

Em Niterói e em outras Universidades pelo país, como na UFRN em Natal, UFPR no Paraná ou UFPB na Paraíba se demonstra o começo de um grande movimento que precisa se unificar com a juventude e a classe trabalhadora de todo o país, coordenando as mobilizações em cada Universidade e escola a partir das bases e suas representações eleitas democraticamente, afim de superar o controle das direções como a UNE que quer separar a luta pelo educação do combate a reforma da previdência, numa lógica em acordo com seus representantes parlamentares e sindicais que já discutem apoiar a reforma em troca de uma ou outra alteração menor.

Nessa crise somos nós ou eles, são os capitalistas que devem pagar pela crise que geraram junto aos políticos que governam para eles. Por isso defendemos o não pagamento da dívida pública, como medida não somente impedir os cortes na educação, o ataque à aposentadoria, mas também mudar radicalmente o caráter da universidade, ampliando o acesso com o fim do vestibular e a estatização das universidades particulares.

Ver mais: Como combater os cortes de 30% nas universidades e a reforma da previdência de Bolsonaro?

A força e energia dessa juventude é capaz de incendiar os trabalhadores do país pra juntos irmos por mais, não vamos escolher entre permanecer na Universidade ou trabalhar até morrer, esse governo não vai nos enganar. Dia 15 façamos uma forte paralisação nacional junto aos professores do país inteiro, rumo a um pleno de luta efetivo que pare o país no dia 14 de junho. Estudantes da Faísca e do MRT estiveram no ato e gravaram um vídeo:

Estudantes da Universidade Federal Fluminence (UFF) depois do ato de milhares hoje em Niterói-RJ em defesa da UFF, contra os cortes nas Universidades Federais e os ataques de Bolsonaro. Luísa da Faísca e MRT foi prestar solidariedade ativa a partir do CASS UERJ como entidade militante contra os ataques do governo:




Comentários

Comentar