MRT

DIA DOS TRABALHADORES

Maíra Machado (MRT) no ato classista e independente: Fora Bolsonaro, Mourão e militares!

Chamamos o bloco de esquerda do PSOL, PSTU e as organizações revolucionárias pra colocar de pé essa luta sem nenhuma confiança no Maia, Toffoli e nos governadores. Basta de paralisa das centrais sindicais que estão junto com os governadores e os golpistas. O povo deve decidir os rumos do país através de uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana.

sexta-feira 1º de maio| Edição do dia


de Maio • Maíra Machado do MRT no ato classista e independente: Fora Bolsonaro e Mourão! - YouTube

de Maio • Maíra Machado do MRT no ato classista e independente: Fora Bolsonaro e Mourão! - YouTube

Professora Maíra Machado, militante do MRT e do Esquerda Diário, fala no ato independente e classista neste 1° de Maio, dia internacional de luta dos trabalhadores, contra o ato das grandes centrais sindicais que conta com a presença dos inimigos do povo, chamando a esquerda a se unificar pelo Fora Bolsonaro e Mourão, apoiando os trabalhadores da saúde em luta como no HU-USP, e denunciando o capitalismo e sua crise que tentam descarregar nas costas dos trabalhadores em meio à pandemia, sem nenhuma confiança em Maia, Toffoli (STF) e governadores.

Centrais sindicais, como CUT e CTB, convocaram um ato neste 1º de Maio do qual não fizemos parte e chamamos o conjunto da esquerda a romper, porque não somente não organizam nenhuma resistência dos trabalhadores contra os ataques e atuam como burocracias sindicais, mas também vergonhosa e absurdamente convocaram inimigos de classe, algozes dos trabalhadores como FHC, Maia, Toffoli e governadores.

A unidade o mais ampla possível pelo Fora Bolsonaro e Mourão é fundamental, batalhando para que amplos setores do movimento de massas dêem um passo à frente nessa perspectiva levantando um programa de combate à crise sanitária, econômica e social para que ela seja paga pelos capitalistas, não pelas trabalhadoras e trabalhadores. Com a proibição de todas as demissões, uma quarentena com licença remunerada, contra as suspensões de contrato e reduções salariais, e garantindo um salário emergencial que chegue imediatamente a todos que estão sem renda, com valor suficiente para manter uma família. Com testes massivos, leitos equipados, contratação de todos os profissionais da saúde e centralização da saúde no estado, sob controle dos trabalhadores. Com todo o financiamento necessário, a partir do não pagamento da dívida pública. Com a reconversão produtiva para garantir os insumos e equipamentos necessários.

A luta para tirar Bolsonaro da presidência não pode abrir espaço para entrada do Mourão. Um governo com Mourão na presidência significa um salto na presença dos militares ainda maior do que já está acontecendo com Bolsonaro. Mas não podemos deixar que a luta para tirar Bolsonaro seja colocada nas mãos de golpistas como Maia, Alcolumbre ou o STF. Não vamos entregar os rumos dessa vital batalha nas mãos dessa corja que igualmente quer despejar os custos de toda crise nas costas dos trabalhadores enquanto, junto aos governadores, não garantem o mínimo para salvar vidas! Basta! O povo é quem deve decidir os rumos do combate à pandemia e os rumos do país. Deve decidir através de uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana!

Fora Bolsonaro, Mourão e militares!

Vidas e empregos acima dos lucros!

Moro, o congresso, o STF e os governadores não são a saída!

Por uma Constituinte livre e soberana rumo à luta por um governo dos trabalhadores de ruptura com o capitalismo!

Viva a luta internacional dos trabalhadores!

Viva a revolução socialista!




Tópicos relacionados

1 de Maio   /    Fora Bolsonaro, Mourão e os militares   /    Primeiro de Maio   /    MRT   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar