Política

TETO DE GASTOS

Maia tem pressa em aprovar corte de gastos

Rodrigo Maia tem pressa para aprovar as medidas de corte de gastos com a promessa de uma suposta tranquilidade fiscal para o país.

quarta-feira 21 de outubro| Edição do dia

Em entrevista ao Estadão Maia afirmou que não há tempo a perder, porque a crise “está muito perto.” A pressa de Rodrigo Maia, tem mais a ver em manter os lucros dos empresário e sim a crise está perto, na verdade já chegou faz tempo, e o presidente da câmara quer que a classe trabalhadora pague por essa crise.

Em consonância com Guedes e Bolsonaro, sela o pacto entre a extrema-direita e o centrão, enquanto Guedes afirma que quem dita o ritmo do país é a “classe política”, vimos com mais intensidade diante da crise que na verdade quem move o país é a classe trabalhadora.

Enquanto Jair Bolsonaro defende que as medidas de contenção de gastos sejam votadas após as eleições municipais, Maia reafirma sua urgência preocupado com a sinalização de investidores que passam a cobrar ainda mais o governo na rolagem da ilegítima e fraudulenta dívida pública.

As medidas defendidas por Maia passam por excluir o abono salarial, ma espécie de 14o. pago a quem recebe até dois salários mínimos além de corte de salários e jornada dos servidores públicos. Segundo sua proposta a PEC emergencial de contenção de gastos terá sua votação concluída até 15 de Janeiro se tiver seu início logo após o primeiro turno das eleições municipais.

Maia com um discurso catastrofista de que a PEC precisa ser votada antes que “a bomba estoure”, se utiliza do projeto do renda cidadã como justificativa para a aprovação apressada da PEC, mas também não esconde sua preocupação com o pagamento religioso da dívida pública.

Ele reafirma sua preocupação com a prorrogação do auxílio emergencial, no que faz coro com Guedes e Bolsonaro . Enquanto pesquisas apontam que o fim do auxílio elevará ainda mais o nível de extrema pobreza, estes tão preocupados com a economia seguem com seus salários milionários e seus privilégios intactos.

Pode te interessar: Bolsonaro: a união estável com o Centrão e o divórcio com a Lava Jato do filho indesejado do golpe




Tópicos relacionados

Teto de Gastos   /    Paulo Guedes   /    Governo Bolsonaro   /    Rodrigo Maia   /    Jair Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar