REFORMA DA PREVIDÊNCIA ENTREGUISTA

Maia aproveita rebaixamento do Brasil para apressar a reforma da previdência

sexta-feira 12 de janeiro| Edição do dia

A agência de classificação de risco Standard & Poor´s rebaixou o país para três níveis abaixo do grau de investimento, usandoentre as justificativa para tal, a demora na implementação das reformas – principalmente a da previdência – mostrando como os banqueiros americanos estão sedentos por mais ataques aos trabalhadores no Brasil.

Rodrigo Maia se apressou e quase comemorou a pressão imperialista: "A decisão da agência, que rebaixou a nota de classificação de risco brasileira, é um momento para reflexão. Temos uma grave crise fiscal e precisamos resolvê-la. O Congresso aprovou várias medidas importantes para a recuperação econômica do país e não é correto responsabilizá-lo pelo rebaixamento”.

Leia também: Google se oferece a Temer para propagar mentiras em defesa da reforma da previdência

O presidente da Câmara e agora possível candidato à presidência como figura do "centro" - apesar de mostrar política neoliberal com ataques como a reforma trabalhista e a reforma da previdência – Rodrigo Maia disse hoje que o rebaixamento do país na avaliação da agência pode contribuir para o avanço da proposta na Câmara, pois pode convencer os parlamentares sobre a votação da reforma da previdência.

Também leia: Em troca da reforma, Temer libera 10 bilhões em obras para levantar a moral dos políticos

Durante o período de recesso parlamentar, que vai até fevereiro, os líderes partidários e suas equipes estão tentando garantir votos favoráveis para a aprovação da reforma que precisa de dois terços do total de 513 parlamentares em dois turnos para ser aprovada, sendo que até o momento a base governista não conseguiu reunir os votos para tal.

Para saber mais sobre a reforma da previdência acesse outras matérias do Esquerda Diário.




Tópicos relacionados

Rodrigo Maia   /    Eleições 2018   /    Reforma da Previdência   /    Governo Temer

Comentários

Comentar