Gênero e sexualidade

DIA DAS MÃES

Mães da linha de frente: “Acredito que sobrecarregada e cheia de tensão definem o momento de muitas mães”

Neste dia das mães em meio a pandemia do novo coronavírus e o isolamento social, reproduzimos o relato de algumas mães trabalhadoras da linha de frente do combate ao coronavírus. Com a palavra Tamiris, metroviária da linha 1 azul do metrô de São Paulo

domingo 10 de maio| Edição do dia

Sou metroviária, mãe, filha, tia, neta.

Estar na linha de frente, sem a opção de fazer a quarentena em casa com a família, em segurança, me dá muita angústia e medo. Não me sinto protegida, tampouco tenho meu esforço reconhecido pelo governo do estado, mas preciso desse trabalho e, portanto, não tenho por onde escapar. Me encho de fé e coragem, e vou.

Tenho muito orgulho do que faço, mas me sinto uma bomba relógio o tempo todo. Filha pequena sem escola, minha mãe me ajudando, tarefas em casa que não podem ficar pra depois.

Acredito que sobrecarregada e cheia de tensão definem o momento de muitas mães que assim como eu estão na linha de frente de tudo isso! Somos verdadeiras guerreiras!




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Mulher   /    Metrô   /    Gênero e sexualidade   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar