Sociedade

DESMATAMENTO

MP de Temer diminui florestas, aumenta latifúndios e beneficia até prefeito

A medida provisória 756, aprovada mês passado pelo congresso e agora nas mão de Michel Temer, propõe a redução de 486 mil hectares (37%) da Floresta Nacional (Flona) do Jamanxim, no estado do Pará. A aprovação dessa MP por Temer beneficiará diretamente vários latifundiários e até um prefeito.

segunda-feira 12 de junho| Edição do dia

Essa área da Floresta Nacional (Flona) do Jamanxim, que é equivalente a mais do que três cidades de São Paulo, pela MP, seria rebaixada a Área de Proteção Ambiental (APA), o que permitiria a presença de humanos e desmatamento para pecuária e mineração.

A MP também prevê o aumento da área que cada pessoa pode legalizar na região, que hoje é de 1125 hectares. Se tiver o aval de Temer, cada individuo passará a poder solicitar até 2,5 mil hectares de terras públicas invadidas ilegalmente.

Entre os beneficiários dessa medida, Pedro Cordeiro, é responsável pelo maior desmatamento ilegal desde a criação da Flona em 2006, transformando uma área de mais 4500 hectares em pasto. Nunca foi encontrado para receber as multas que chegam a R$ 45 milhões e o mais provável é que seja um laranja.

Outro latifundiário que se beneficia diretamente da medida é Jaime Zaminhan, que junto com a esposa e dois filhos reivindicam uma área de quase 7 mil hectares, a maior parte da floresta.

O garimpeiro e prefeito de Novo Progresso (PA) pelo PSC, Ubiraci Soares da Silva, que reivindica 963 hectares e acumula R$ 1,9 milhão em multas por diversos crimes ambientais é mais um que vai se beneficiar entre tantos outros latifundiários.




Tópicos relacionados

Agronegócio   /    Sociedade   /    Meio Ambiente   /    Sem-Terras

Comentários

Comentar