Opinião

MP da hipocrisia

Vinicius Bocanegra

Estudante e milita na frente estudantil Araraquara e ocupou E.E. Lysanias

segunda-feira 24 de outubro| Edição do dia

Tramita no congresso nacional a proposta de reforma do ensino médio, a MP 746, que alterará profundamente o ensino visando acabar com o conteúdo critico. A importância de se retirar as matérias de sociologia e filosofia, educação física, e artes é justamente para formarmos trabalhadores que não questionem. O aumentando da carga horária para mil e quatrocentas horas, transformando a escola tempo integral, é controverso no país, pois as experiencias foram bem sucedidas. No mundo medidas parecidas foram implantadas e não deram certo, nada se falou sobre a qualidade das merendas.

Pretende-se obrigando as escolas públicas a reconhecer através do currículo do ensino médio conhecimentos adquiridos através de demonstração prática, experiência de trabalho, curso técnico de qualquer natureza e educação a distância, o que qualifica o futuro trabalhador de forma bem duvidosa. Fomentará a criação de plataformas privadas de ensino técnico que estarão atreladas ao currículo escolar, oferecendo as devidas competências necessárias ao estudante para adentrar no mercado de trabalho de forma mais rápida, mas não constando com a qualidade necessária para a real competência do operário, aumentando a oferta de mão-de- obra e diminuindo sua capacitação profissional, barateando os custos e explorando cada vez mais.

Texto da MP traz que os docentes com notório saber nessas áreas (não os especificando através de curso superior), poderão oferecer cursos técnicos de formação profissional, o que não será ofertado pelas escolas de nível médio, fazendo com que os pais que quiserem matricular seus filhos em cursos profissionalizantes devam pagar um docente terceirizado e com notório saber para esse fim.

Somado a isso, os direito da classe docente será completamente nulo, proibindo-os de tratarem de assuntos que incentivem o aluno a pensar a sociedade (como machismo, racismo e homofobia) pelos planos ideológicos da direita com a PL da escola sem partido. A MP muda o ensino de disciplinas para áreas fazendo o professor lesionar matérias que não estão acostumados,(ao invés de química, física e biologia, serão ciências naturais), dificultando a vida de um graduado em química que será obrigado a dar aula de biologia.

O salário não será reajustado de acordo com a inflação, os cursos de bolsas com formação docente terão cortes abusivos, a idade minima para aposentadoria será aumentada, a empresa que contrata o serviço será terceirizada e regida por leis trabalhistas de direito privado (instabilidade profissional), etc, etc.

Esses motivos já bastam para pedirmos greve geral e protestarmos todos os dias na rua, mas não são os únicos. Convido toda a comunidade Araraquarense a participar dessa luta juntamente com os estudantes que sofrem tanto com o desmonte da educação, vem participar porque a luta deve existir para barrar os severos retrocessos, retirar o cabresto colocado nos estudantes do nível médio e politizá-los para começarem a criticar e não aceitar a politica tal qual ela é.




Tópicos relacionados

Opinião

Comentários

Comentar