Mundo Operário

#30J TOMAR A GREVE GERAL EM NOSSAS MÃOS

MG: Trabalhadores da Vallourec também querem a greve geral em suas mãos

quinta-feira 22 de junho| Edição do dia

Nesta quarta-feira, a Vallourec no Barreiro em Belo Horizonte, amanheceu com a campanha “Tomar a greve geral em nossas mãos” impulsionada pelo MRT, Esquerda Diário, grupo de mulheres Pão e Rosas, Faísca – Juventude Anticapitalista e Revolucionária, Movimento Nossa Classe e difundida pela juventude e trabalhadores de todos os cantos do país.

As principais portarias da empresa foram cobertas por cartazes e adesivos que trazem a exigência às centrais sindicais da organização de assembleias e comitês de base para que os trabalhadores possam tomar a greve geral em suas mãos e lutar seriamente contra Temer e suas reformas, enfrentando também essa burocracia sindical que não só não organiza a base, como faz tudo possível para freiar a luta dos trabalhadores e trabalhadoras.

Milhares de panfletos discutindo o rumo das nossas lutas e uma saída independente dos trabalhadores para a crise política, com a imposição pela força da nossa greve de uma eleição de representantes para uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana, onde os trabalhadores e a juventude possam realmente decidir o destino do país foram entregues aos operários efetivos e terceirizados que diziam que é necessário “parar tudo”, “tirar aquele homem de lá” e que “é hora de pensar na gente”, escancarando que é preciso derrubar Temer e construir uma saída que anule todos os ataques aos trabalhadores e as leis anti-operárias, para que os capitalistas paguem pelas crises econômica e política que criaram.


Com muita disposição, os trabalhadores sabem que é preciso uma greve geral maior que a do dia 28 para que os golpistas sejam derrotados agora. É preciso que o sindicato dos metalúrgicos de Contagem e região convoque assembleias de base para que os trabalhadores tomem essa greve em suas mãos e que seja parte de construir de fato a greve, uma vez que faz parte da CUT, central que dirige importantes categorias na região, como professores, petroleiros, bancários, entre outros.




É mais do que necessário que não haja nenhum retrocesso no chamado e construção dessa greve, nenhum tipo de negociação de ataques menores ou de saídas como a candidatura de Lula em 2018 ou as Diretas Já: é hora de impor a derrota às reformas e Temer com a força dos trabalhadores.






Tópicos relacionados

Nossas vidas valem mais que o lucro deles   /    #30J   /    Greve geral   /    Vallourec   /    Juiz de Fora   /    Contagem   /    Greve   /    Belo Horizonte   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar