Educação

OCUPAÇÕES NO PARANÁ

MBL ataca a maior escola ocupada no Paraná

Pela segunda vez, o grupo do MBL e Direita Curitiba, foram até as dependências do Colégio Estadual do Paraná para agredir verbalmente e fisicamente os estudantes.

quarta-feira 19 de outubro| Edição do dia

Na ocasião de hoje, xingaram os estudantes, tentaram entrar de maneira forçada nas dependências da escola e abusaram sexualmente de uma menina, passando a mão em seu corpo (um B.O. foi aberto na delegacia da mulher). Desde o começo, o intuito desses seres irracionais era provocar os alunos para que tivessem material para criticas as “invasões” (como eles se referem às ocupas), nem a presença de um advogado foram suficientes para que sessassem com as difamações e provocações.

Durante todo o tempo, os estudantes pediram para que não fossem filmados os rostos dos mesmos, uma vez que a grande maioria deles é menor de idade e não lhe deram autorização para captura de imagens (o direito de imagem é garantido pela Constituição Federal, e publicar imagens sem a autorização prévia das pessoas, é crime, e por isso esses fascistas serão responsabilizados) e na saída do colégio, agrediram um rapaz, o que gerou um principio de confusão.

Os estudantes, já estressados pelas atitudes do grupo ignorante, cobriram a câmera deles para que não fossem capturadas mais imagens, e após o incidente, os agressores tiveram a audácia e a cara de pau de divulgar um vídeo na página nacional do MBL, expondo todos os estudantes e apoiadores que estavam presentes, e mais, disseram ter sidos ESPANCADOS pelos mesmos.

Não é a primeira situação que este mesmo grupo cria confusões para tentar deslegitimar o movimento dos estudantes e trabalhadores, recentemente, fizeram uma montagem em suas páginas dizendo que os estudantes haviam hasteado uma bandeira comunista no CEP, confeccionaram uma faixa se passando por sindicalistas da APP sindicato onde na mesma continha frases da apoio a presidente Dilma e já foram além...durante uma marcha da APP, se infiltraram na mesma e picharam muros nas ruas de Curitiba com os dizeres “APP e MST contra o golpe”, antes da marcha passar pela rua em questão. Tiveram ainda a capacidade de escrever “MTS” em uma destas, mas não para por ai. A fim de se pagar de bons samaritanos, organizaram um grupo de limpeza para apagar as pichações feitas por eles mesmos.

O MBL e Direita Curitiba são coletivos caluniadores, aproveitadores e falaciosos que pregam o discurso de ódio como pode ser visto no print do vídeo feito ao vivo no MBL onde incentivam pais e alunos a irem desocupar as escolas a força.

O problema é que muita gente cai nesse papinho deles de “doutrinação comunista”, “professores militantes do MST”, e por aí vai. Uma nota de repúdio foi lançada pela frente CWB Contra Temer e vídeos da ocasião podem ser encontrados na página Ocupa Tudo RS.

Ações como estas, NÃO PASSARÃO! Todas as medidas legais cabíveis já estão sendo tomadas.




Tópicos relacionados

Ocupação Secundarista Paraná   /    Educação   /    Juventude

Comentários

Comentar