Política

PT DIZ QUE NÃO É HORA DE LUTAR

Lula diz que PT deve “esperar poeira baixar” ao invés de organizar luta contra Bolsonaro

Fernando Pardal

@fepardal

quarta-feira 31 de outubro| Edição do dia

A confiança cega do petismo nas saídas eleitorais e nas instituições do regime, bem como num programa que concilia com os setores mais reacionários e suas demandas, como o agronegócio, banqueiros, igrejas conservadoras e mercado financeiro, é uma marca incontornável do partido de Lula e Haddad.

Mesmo com Lula preso arbitrariamente e sem provas, com sua candidatura impugnada, com o vazamento ilegal da delação de Palocci às vésperas do primeiro turno, com o desprezo do governo às resoluções da ONU que diziam que Lula deveria concorrer às eleições e com a conivência do TSE em relação ao Caixa 2 milionário das Fake News de Bolsonaro, Steve Bannon e os empresários que o apoiam, o PT segue firme em defender a “normalidade institucional”.

Uma eleição manipulada, vencida por um candidato de extrema-direita que está de mãos dadas com o judiciário e o imperialismo para destruir nossos direitos – a começar pelas aposentadorias. Qual a primeira reação de Haddad frente a isso? Mandar uma mensagem pública para desejar “boa sorte” ao carrasco fascistóide Bolsonaro. É extremamente simbólico de que tipo de atitude o PT terá frente ao mais abominável governo desde a ditadura militar.

A CUT já mostrou que vai seguir completamente passiva, sem convocar nenhum tipo de mobilização nos milhares de sindicatos que dirige, e se parabenizando pelas “grandes lideranças no campo democrático-popular” que são Lula e Haddad.

E Lula, para coroar essa monstruosa passividade – enquanto do outro lado Temer já dá as mãos a Bolsonaro – diz que o PT deve “esperar baixar a poeira” e que é para ter “calma”. Ou seja, que é hora de deixar Bolsonaro articular com a classe dominante, o judiciário, os políticos e o imperialismo todos os brutais ataques contra nossos direitos, enquanto assistimos de braços cruzados e esperamos as medidas mais absurdas contra nós, antes mesmo que o novo presidente assuma o cargo.

Haddad, como fiel representante dessa política derrotista e que amarra as mãos dos trabalhadores diante da ofensiva patronal e reacionária, ao se dirigir ao partido se absteve de fazer qualquer avaliação do cenário ou traçar qualquer estratégia.

Tudo que Bolsonaro precisa é que os trabalhadores, a juventude, as mulheres, negros, LGBTs e todos os setores explorados e oprimidos fiquem a ver navios esperando “a poeira baixar”. Mas, ao contrário do que dizem Lula, Haddad e o PT, a poeira não vai “baixar”. Quando ocorreu o golpe contra Dilma para colocar um governo mais duro de ajustes, o PT não organizou a luta, mas “esperou a poeira baixar”; quando foram aprovadas a Lei da Terceirização, a reforma trabalhista, a EC do teto de gastos, e todos os ataques de Temer, “esperou a poeira baixar”; quando Lula foi preso, “esperou a poeira baixar”; quando as eleições manipuladas pelo judiciário e com milhões em fake News colocam um presidente de extrema-direita no poder continuam dizendo para “esperar a poeira baixar”. E, assim, nos afundamos num mar de lama.

Para derrotar Bolsonaro precisamos romper com essa passividade petista que nos leva de derrota em derrota. Exigir que CUT, CTB, UNE e todos os sindicatos e entidades estudantis convoquem imediatamente comitês de base e assembleias para organizarmos nossa luta, uma luta do tamanho desse país que possa se inspirar no exemplo de 28 de abril de 2017 e leva-lo adiante, com uma greve geral capaz de derrotar Bolsonaro e seus ataques. Chega de esperar!




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    Haddad   /    PT   /    Lula   /    Política

Comentários

Comentar