Gênero e sexualidade

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Luiza Brunet é brutalmente espancada pelo marido

O marido de Luiza Brunet é o biblionário empresário Lírio Albino Parisotto. Segundo relatos da modelo, a agressão ocorreu no dia 21 de maio, no apartamento de Parisotto, no Plaza Residence, localizado em Nova York.

sexta-feira 1º de julho de 2016| Edição do dia

A agressão começou com ataques verbais por parte do empresário durante um jantar com amigos, quando o casal foi indagado se compareceria a uma exposição de fotos. Parisotto disse que não, pois da última vez havia sido confundido com o ex-marido de Brunet. Segundo ela, foi então que ele começou a se exaltar. Ela diz ter enviado mensagens às outras pessoas que os acompanhavam.

Depois dessa cena, eles tomaram um uber e foram para o apartamento. Parisotto a deixou dentro do carro e subiu sozinho, tendo Luiza seguido ele logo após. No apartamento, o empresário começou a insultá-la verbalmente e depois a agrediu com um soco no olho, e em seguida passou a chutá-la. Depois a imobilizou com extrema violência no sofá, tendo quebrado quatro costelas de Brunet.

Ameçando gritar para chamar o concierge, Brunet conseguiu escapar e se trancar no quarto, de onde só saiu no dia seguinte após Parisotto ter deixado o apartamento. Ela imediatamente veio ao Brasil, onde denunciou a agressão ao Ministério Público, e realizou exame de corpo de delito no IML.

Ela declarou: “Eu sempre tive uma família estruturada e sempre fui discreta em minha vida pessoal. É doloroso aos 54 anos ter que me expor dessa maneira. Mas eu criei coragem, perdi o medo e a vergonha por causa da situação que nós, mulheres, vivemos no Brasil. É um desrespeito em relação à gente. O que mais nos inibe é a vergonha. Há mulheres com necessidade de ficar ao lado do agressor por questões econômicas, porque está acostumada ou mesmo por achar que a relação vai melhorar.”

Ela fez a uma postagem em seu Instagram com a foto de uma mulher agredida e a legenda: "Bom dia ! Está é a Clássica foto sofrida por muitas mulheres no Brasil. Não tenha medo de fazer denúncia 180 #delegaciadamulher#procuradoriageraldesaopaulo . Esta é uma campanha que vou abraçar ! Ajudar mulheres a perder o medo. #falesemedo está pode ser a sua foto pode ser a minha foto."




Tópicos relacionados

Violência contra a Mulher   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar