Política

QUEDA LIVRE

Literalmente caindo pelas tabelas Alckmin vai perdendo apoio do centrão

Alckmin, que caiu não só em visita a creche, mas também nas pesquisas, pode perder apoio do centrão, aliados do golpe institucional.

terça-feira 18 de setembro| Edição do dia

O candidato à presidência do PSDB, que chegou ao distrito federal nesta segunda-feira embaixo de chuva, caiu em visita a uma creche numa das regiões mais precárias, graças ao chão molhado pelas goteiras e ao tumulto gerado pela imprensa com as crianças.

O chão da creche em que Alckmin visitava e fazia demagogia como se defendesse boas as creches e as crianças, encharcado por conta da precariedade do local, não aguentou a forte chuva que caiu sobre o DF nesta segunda-feira, 18. Funcionários ainda tentaram amenizar a situação passando rodos e com baldes, mas não foi suficiente. Logo a internet não perdoou a "ironia do destino" para com o candidato, também conhecido em SP como "ladrão de merenda", exatamente por conta da participação de seu partido na Máfia das Merendas das escolas infantis.

Mas a queda de Alckmin não é só na creche, também vem caindo nas pesquisas, alcançando hoje segundo a pesquisa Ibope 7% e mostrando assim muitas dificuldades em emplacar nas eleições.

Com isso, os aliados do “centrão” podem fugir da sua campanha e passar a apoiar outros candidatos, como Bolsonaro, Ciro ou até Haddad, que não negou essa possibilidade em entrevista ao UOL ontem.

Ciro Nogueira, presidente do PP, mesmo partido da vice de Alckmin, Ana Amélia, já pede votos para o PT no Piauí, graças nas negociatas locais que PT, PSDB, MDB e todos os partidos do centrão fazem.

A decadência de Alckmin nas pesquisas mostra o rechaço que tem os trabalhadores e toda a população com o golpe e sua continuidade. Ao mesmo tempo que as pesquisas mostram que as eleições, manipuladas pelo judiciário, tendem a polarização, de um lado com uma extrema direita fortalecida, com Bolsonaro e todo absurdo que ele representa para a vida dos trabalhadores, mulheres, negros e lgbts e de outro com Haddad apoiado por Lula que já disse que se eleito governará com golpistas e com a direita.

Por isso, nós do Esquerda Diário defendemos que é preciso dedicar nossas energias para fortalecer uma esquerda que aposte na luta de classes dos trabalhadores, das mulheres, dos negros e da juventude, com um programa de independência de classe dos trabalhadores que supere a conciliação petista para que sejam os capitalistas a que paguem pela crise.




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    Alckmin   /    Política

Comentários

Comentar