Economia

Lira e Pacheco garantem prioridade no ataque com privatização da Eletrobrás

Medida provisória avança ainda mais contra a soberania nacional e joga riqueza nacional na mãos de empresários.

terça-feira 16 de março| Edição do dia

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil/Arquivo

Em evento do jornais Valor e O Globo no dia de ontem (16), os presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), aliados de Bolsonaro tiveram acordo que as prioridades do Congresso é o ataque a Eletrobrás.

“O modelo agora é de manutenção do ativo e permissão da capitalização da Eletrobrás. Acho uma medida tolerável”, afirmou Pacheco. Lira, em consonância, disse que fará alterações no texto da MP e entregará ao senado em 20 dias.

A MP da capitalização da Eletrobrás tem o prazo de 120 dias para tramitação no Congresso, e significará a abertura das ações da empresa estatal ao capital privado e a subjugação das riquezas do país ao imperialismo.

Veja também: Fora Bolsonaro, Mourão e os golpistas! Por um plano de luta contra a crise sanitária e econômica




Tópicos relacionados

Rodrigo Pacheco   /    Arthur Lira    /    Pandemia   /    Governo Bolsonaro   /    Eletrobrás   /    Congresso   /    Economia

Comentários

Comentar