Internacional

Líderes internacionais reagem à eleição do novo suserano Trump

quarta-feira 9 de novembro| Edição do dia

A vitória do republicano Donald Trump nas eleições dos Estados Unidos provocou reações de líderes internacionais. Alguns ministros de relações exteriores e representantes europeus demonstraram uma certa apreensão. Já os presidentes da Rússia e das Filipinas se apressaram para demonstrar que a intenção de melhorar as relações com os Estados Unidos.

Barack Obama, Presidente dos Estados Unidos

O presidente dos Estados Unidos felicitou Trump pela vitória e o convidou para um encontro na Casa Branca na quinta-feira.

Vladimir Putin, presidente da Rússia

"A Rússia está pronta e quer restaurar as relações de pleno direito com os EUA", afirmou Putin, segundo a CNN. Ele enviou em um telegrama a Trump no qual expressou a “esperança de que [seja realizado] um trabalho mútuo para tirar as relações entre Rússia e Estados Unidos de sua situação crítica” e “disse estar certo de que será iniciado um diálogo construtivo entre Moscou e Washington”.

Xi Jinping, presidente chinês

O presidente chinês Xi Jinping disse estar "ansioso" para trabalhar com Donald Trump "sem confrontação", em um telegrama de felicitação por sua vitória eleitoral nos Estados Unidos. "Concedo uma grande importância às relações chino-americanas e estou ansioso para trabalhar com você, sem conflito e sem confrontação", com "base nos princípios de respeito mútuo e de cooperação", afirmou.

Ele ressaltou ainda que espera que o novo presidente americano "lide com as divergências [entre os dois países] de forma construtiva", segundo declarações citadas em estilo indireto pela televisão estatal CCTV e reproduzidas pela France Presse.

Theresa May, primeira-ministra britânica

Em mensagem no Facebook, a premiê felicitou Trump pela vitória após a “árdua campanha”. “A Grã-Bretanha e os Estados Unidos têm uma relação duradoura e especial com base nos valores da liberdade e da democracia. Nós somos, e continuaremos a ser, parceiros fortes e próximos em matéria de comércio, segurança e defesa. Estou ansiosa para trabalhar com o presidente eleito, Donald Trump, com base em laços para garantir o Estes segurança e a prosperidade de nossos países nos anos vindouros.

Angela Merkel, chanceler alemã

A chanceler alemã felicitou Trump pela vitória. “A democracia, a liberdade, o respeito às leis e o respeito às pessoas, independentemente da cor, são os valores que compartilhamos com os Estados Unidos”, afirmou, segundo a Reuters.

Golpista Temer, presidente do Brasil

De acordo com a assessoria do Palácio do Planalto, o presidente golpista Michel Temer vai ligar para Trump para parabenizá-lo ainda nesta quarta. Em entrevista à rádio Itatiaia, Temer disse que a eleição de Donald Trump não muda nada na relação entre Brasil e Estados Unidos. Segundo ele, a relação entre os dois países é "institucional", de "estado para estado". “Não [muda nada na relação], tenho dito com muita frequência que a relação do Brasil com os Estados Unidos, assim como com os demais países, é uma relação institucional. Ou seja, de estado para estado [...] Tenho certeza que lá as coisas irão muito bem, a nossa relação é institucional. Estou contando cumprimentar o presidente pela eleição e não muda nada na relação Brasil e Estados Unidos”, afirmou o presidente.

Mais ainda, Temer se ajoelhará diante do novo suserano, mais agressivo, para tentar travar novas relações comerciais e políticas, sabendo que qualquer política protecionista por parte dos EUA (quanto ao ferro, a soja, o aço, a carne) pode dificultar as exportações brasileiras.

Rodrigo Duterte, presidente das Filipinas

Em um comunicado ele enviou suas “calorosas felicitações” a Donald Trump pela vitória. O líder asiático expressou seu desejo de "trabalhar com a administração futura para melhorar as relações entre Filipinas e EUA baseadas no respeito mútuo, benefício mútuo e o compromisso partilhado rumo a ideias democráticas e o Estado de direito", segundo a agência Efe.

François Hollande, presidente francês

“O triunfo de Trump abre um período de incerteza”, afirmou o presidente francês, François Hollande.

Justin Trudeau, premiê do Canadá

O premiê do Canadá, Justin Trudeau, disse que quer parabenizar Trump. Ele afirmou que o Canadá não tem aliado mais próximo que os EUA, e que espera colaborar com o presidente eleito nas questões de comércio, investimento e segurança.

Maurício Macri, presidente da Argentina

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, felicitou Trump por sua vitória e disse esperar que eles possam trabalhar em conjunto.

Enrique Peña Nieto, presidente mexicano

Presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, felicitou os Estados Unidos pelas eleições. “Eu elogio os EUA por seu processo eleitoral e reiter ao @realDonaldTrump vontade de trabalhar em conjunto para a relação bilateral. México e Estados Unidos são amigos sócios e aliados que devem seguir colaborando pela competitividade e desenvolvimento da América do Norte. Confio que o México e os Estados Unidos continuarão estreitando seus laços de cooperação e respeito mútuo", disse em sua conta da rede social Twitter, segundo a Efe.

Mohammad Javad Zarif, Relações Exteriores iraniano

O Relações Exteriores iraniano afirmou que Donald Trump deve permanecer comprometido com o acordo nuclear internacional. "Os Estados Unidos devem cumprir seus compromissos no Plano Integral Conjunto de Ação [o acordo nuclear] como um acordo internacional multilateral", disse Zarif durante uma visita à Romênia. A Reuters reproduziu informações sobre a agência de notícias Tasnim.

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro israelense

“Felicito o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump. Trump é verdadeiro amigo do Estado de Israel. Vamos trabalhar em conjunto para promover a segurança, a estabilidade e a paz em nossa região”, afirmou o assassino sionista em mensagem no Twitter, buscando selar um pacto político para recrudescer a repressão sobre os palestinos.

Recep Tayyip Erdogan, presidente turco

O presidente turco afirmou ter esperança de que a eleição nos Estados Unidos promova avanços para a região. "Espero que esta escolha do povo americano leve a medidas benéficas para o mundo em relação aos direitos e liberdades fundamentais, à democracia e aos desenvolvimentos na nossa região", afirmou, segundo a Reuters.

Haider Al-Abadi, primeiro-ministro iraquiano

“Parabéns ao presidente eleito @realDonaldTrump. Esperamos ansiosos a continuação do apoio dos EUA para o Iraque na guerra contra o terror”, afirmou Haider Al-Abadi no Twitter.

Ursula von der Leyen, ministra de Defesa da Alemanha

“Choque enorme. Acho que Trump sabe que não foi um voto para ele, mas sim contra Washington, contra o establishment”.

Jean-Marc Ayrault, ministro das Relações Exteriores da França

“A personalidade do republicano levanta questões e tenho dúvidas sobre o que significará um governo Trump para os principais desafios na política externa, das mudanças climáticas ao acordo sobre o programa nuclear do Irã e a guerra na Síria”.

Lu Kang, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China

“Esperamos que o novo governo dos EUA possa trabalhar com a China em uma cooperação que beneficie aos povos de ambos países”.

Carl Bildt, ex-ministro das Relações Exteriores da Suécia

“Parece que esse será o ano do desastre duplo para Ocidente. Apertem os cintos”.

Marine Le Pen, líder da extrema-direita na França, presidente da Frente Nacional

“Felicitações ao novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump e ao povo americano”.

Martin Schulz, presidente do Parlamento Europeu

“Não será fácil, porque durante a campanha eleitoral escutamos alguns elementos de protecionismo, também algumas palavras preocupantes sobre mulheres, sobre minorias. Mas minha experiência também é a de que as campanhas eleitorais são diferentes da política real durante o mandato de um presidente, então espero que ele retorne para uma cooperação racional”.

Ban Ki-moon, secretário-geral da ONU

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, felicitou Trump por sua vitória e disse acreditar que sua administração trabalhará a favor da cooperação internacional. "Os desafios globais de hoje demandam ações globais arrumadas e soluções conjuntas", disse Ban, que ressaltou a necessidade de colaborar em áreas como mudança climática, defesa dos direitos humanos e políticas de desenvolvimento, segundo a Efe.

Federica Mogherini, chefe da diplomacia da União Europeia (UE)

“As relações EUA-UE são mais profundas que qualquer mudança política. Continuaremos trabalhando conjuntamente, redescobrindo a força da Europa”.

Matteo Renzi, primeiro-ministro italiano

Convencido de que a amizade ítalo-americana continuará sólida, sustentou que vai colaborar para o bom entendimento entre a União Europeia e os Estados Unidos.

Ali Khamenei, aiatolá no Irã

Falou como vai ser fácil para ele ironizar seus maiores inimigos. Disse que Trump não venceu as eleições porque foi populista, mas por falar a verdade sobre o que, para o aiatolá, são as mazelas dos Estados Unidos.




Tópicos relacionados

Donald Trump   /    Eleições Estados Unidos   /    Internacional

Comentários

Comentar