Internacional

1000 PRESOS

Liberdade já a todos os detidos pela polícia repressiva de Macron!

Novamente neste sábado as multidões revoltosas de coletes amarelos contra o governo Macron e um conjunto amplo de reivindicações operárias e populares. Absurdamente, o "forte" Macron desferiu uma repressão violentíssima contra os trabalhadores e jovens franceses, resultando nesse conflito mais de 1000 presos, o dobro da semana passada. Nós do Esquerda Diário nos somamos à luta dos franceses e exigimos liberdade imediata a todos os presos políticos de Macron!

sábado 8 de dezembro| Edição do dia

Emmanuel Macron, chamado de Júpter francês, esmigalhou com a massividade dos combates nas barricadas por todo o país. Tem hoje uma das simpatias mais baixas na história da política francesa, algo por volta de 20% de aprovação. Por sua vez, as barricadas e os duros enfrentamentos dos coletes amarelos com a polícia francesa tem apoio de cerca de 70% da população, apontam as pesquisas.

A tentativa de quebrar esse apoio com o argumento da violência dos manifestantes caiu por terra. Por sua vez, Macron colocou blindados e enviou exércitos de policiais para reprimir a revolta nas ruas, logo após aceitar que a sua tentativa de aumentar o preço dos combustíveis e do custo de vida foi derrotado. Até o momento, já são 1000 manifestantes presos apenas neste sábado, o dobro do que na semana anterior. Um escândalo por parte da polícia de Macron.

Os coletes amarelos, que já se expandiram para outras cidades da França e até mesmo para outros países da europa, como a Bulgária, Nos Países Baixos, na Bélgica, precisam ampliar a sua mobilização, radicalizar e organizar para que sejam os trabalhadores, os jovens, os imigrantes e as mulheres a tomarem em suas mãos essa força, inclusive para derrotar as prisões de Macron.

LIBERDADE IMEDIATA AOS COLETES AMARELOS!

No Brasil, na luta contra o Bolsonaro, façamos como os franceses!




Tópicos relacionados

coletes amarelos   /    Emmanuel Macron   /    França   /    Repressão   /    Violência Policial   /    Internacional

Comentários

Comentar