RACISMO NO BBB

Levante seu black contra a globo!

Jenifer Tristan

ABC Paulista

terça-feira 26 de janeiro de 2016| Edição do dia

Em um programa da tarde a rede globo foi mostrar a nova casa do novo Big Brother Brasil para seus telespectadores, em sua maioria mulheres donas de casa pelo horário do programa. Para além de um machismo gritante, pois o objetivo era mostrar como a casa BBB tinha a melhor cozinha, com eletrodomésticos avançados facilitando a vida dos moradores e incentivar essas mulheres a consumirem mais desses produtos, um dos objetos mostrados causou a revolta dos telespectadores negros: um bombril em forma de um homem negro. Este equipamento de cozinha mostra o quão racista e cínica é a Globo, pois a bucha de lavar louça, nada mais é que um boneco negro, num estilo discoteca com black power, que reforça a velha máxima racista de "cabelo de bombril", agora naturalizada e utilizada como adereço da casa.

O black power é uma forma de resistência negra, contra a imposição da normatividade do liso, das chapinhas e químicas, que vemos cotidianamente em nossa sociedade. O Black Power nasce na década de 70 nos Estados Unidos como resistência contra um modelo socialmente imposto de uma norma européia no qual os negros não se encaixavam, levantando assim seus lindos e maravilhosos black powers para lutar contra o racismo e preconceito.

Frente a todo histórico de luta do povo negro é inadmissível que a rede globo, que colaborou com a ditadura, que tem um posicionamento político de direita disfarçada de jornalismo e entretenimento "sério" mostra que reproduz sem nenhum problema o racismo tão estrutural no nosso país.

Com tantos casos de racismo contra seus próprios funcionários, e após a falsa comoção da emissora aos ataques racistas sofridos meteorologista Maria Júlia (a moça do tempo), a emissora lança a campanha "Somos todos Maju" ou mesmo chefe de jornalismo Ali Kamel lança um livro pra dizer que "Não somos racistas" quando toda a prática da emissora programas de humor, entretenimento, expressam os negros, as mulheres, os homossexuais e o conjunto dos oprimidos de forma estigmatizada e ridicularizada.

"O povo não é bobo, abaixo a rede globo"

Com seu racismo e preconceito, a mídia que é controlada pela burguesia jamais poderá ser porta voz dos negros e oprimidos, por isso precisamos criar mecanismos próprios e lutar para que os meios de comunicação estejam a serviço dos trabalhadores e sectores oprimidos para que o humor não seja mais para nos ridicularizar e sim para acabar com os opressores!

Levantemos nossos blacks contra a elite branca e racista, contra a globo, contra o mito da democracia racial, pois não tem nada de bombril, de feio, de bucha ou mesmo "duro", duro é ligar a TV e ser massacrada todos os dias. Nosso histórico é de luta e seguirá sendo! Pois como diz nossa pequena MC Soffia: "Somos lindas e fortes, Fortalezas!"




Tópicos relacionados

[email protected]

Comentários

Comentar