Gênero e sexualidade

ENTREVISTA

Letícia Parks entrevista Débora Diniz, professora da UnB e defensora dos direitos das mulheres

Débora Diniz, professora da UnB e uma das mais reconhecidas ativistas em defesa do direito ao aborto, será entrevista nessa quinta-feira por Letícia Parks, militante do MRT e pré-candidata a vereadora pela Bancada Revolucionária de Trabalhadores.

quinta-feira 24 de setembro| Edição do dia

Escandalizamo-nos recentemente com o caso da menina de 10 anos que foi sistematicamente estuprada pelo tio e, como se tal violência não bastasse, foi perseguida por figuras abjetas como Sara Winter e até a ministra de Bolsonaro, Damares Alves, que organizaram uma verdadeira cruzada reacionária para tentar impedir a jovem de interromper a gravidez – que em seu caso representava inclusive um grave risco à sua própria vida.

“Assassina”, gritavam à porta do hospital aqueles que queriam impor seus dogmas sobre o corpo de uma criança e a obrigar a gestar uma criança, sendo ela mesma ainda uma criança. Entre as milhares de vozes que se levantaram contra esse absurdo estava a da professora e pesquisadora da Universidade de Brasília, Débora Diniz.

A pesquisadora, que já sofreu inúmeras ameaças e insultos por sua importante defesa do elementar direito das mulheres a seu próprio corpo, acaba de ser novamente ameaçada em virtude deste episódio. Diniz compartilhou, como milhares de outras pessoas, a matéria da Folha de S. Paulo que denunciava que a ministra Damares Alves tinha pessoalmente tomado parte na exposição da menina, expondo a público ilegalmente o local onde realizaria o aborto e, assim, garantindo que suas hordas reacionárias cercassem o hospital e tentassem coagir a equipe médica e a própria menina. A ministra, sabendo da importância de Débora como um símbolo dessa luta, respondeu o tuíte da pesquisadora dizendo que iria processá-la pela suposta calúnia de denunciar seu envolvimento – denúncia, aliás, feita pela Folha, e não por Diniz.

Nessas eleições, a candidatura a vereança em São Paulo composta por Marcello Pablito, Diana Assunção e Letícia Parks – a bancada revolucionária de trabalhadores do MRT – tem como uma importante bandeira a luta pela legalização do aborto, cuja proibição é responsável pela morte de milhares de mulheres todos os anos no Brasil. Diana vem sendo atacada nas redes sociais pelos mesmos reacionários que se colocaram contra a menina e que perseguem Débora Diniz após seus pronunciamento sobre o tema.

No dia 28 de setembro, dia latino-americano e caribenho pela legalização do aborto, a bancada levanta com força essa bandeira, e no dia 26, Letícia Parks receberá em sua página no Instagram a pesquisadora Débora Diniz para uma conversa sobre o tema. Nesse dia 24, às 19h, no https://www.instagram.com/pretaparks/, acompanhe a entrevista com essa importante ativista em defesa dos direitos das mulheres.




Tópicos relacionados

Legalização do Aborto   /    Aborto   /    Mulheres   /    #28S - PELO DIREITO AO ABORTO   /    Mulher   /    Direito ao aborto   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar