Internacional

EQUADOR

Lenín Moreno será o novo presidente do Equador

terça-feira 4 de abril de 2017| Edição do dia

Dados oficiais do Conselho Nacional Eleitoral sinalizam que, por uma margem bastante estreita, o candidato Rafael Correia superou o neoliberal Guillermo Lasso.

O presidente do Equador, Rafael Correa, quis ser o primeiro a dar a notícia. Disse que os dados do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) outorgavam mais de dois pontos de diferença a favor de Lenín Moreno.

“Resultados oficiais do CNE: mais de dois pontos de diferença… Lenin presidente!!! A fraude moral da direita, não ficará impune”, escreveu Correa no twiter.

“Grande noticia para a Patria Grande: a Revolução voltou a triunfar no Equador: A direita derrotada, pese a seus milhões e a sua imprensa”, adicionou.

Pouco depois se conheceu os dados oficiais emitidos pelo Congresso Nacional Eleitoral (CNE). Segundo a página de web do organismo e como “contagem rápida” o candidato oficialista, Lenín Moreno, conquistou 51,06% dos votos quando já se havia contado 93,37% do total de votos.

O opositor Guillermo Lasso, do movimento Criando Oportunidades (CREO, na sigla em castelhano para Creando Oportunidades), obteve 48,94% dos votos. Em número, o movimento oficialista Aliança pelo País (AP, na sigla em castelhano para Alianza País) somava 4.795.180 votos e Lasso 4.595.989 votos.
Antes de se conhecerem os dados oficiais, Andrés Páez, candidato a vice presidente do movimento opositor, usou sua conta do Twitter para falar de “fraude”.

“Apagaram a página do CNE, não há acessos aos dados e neste momento estão em processo de fraude. Fraude, senhores”, indicou. E em outra mensagem apontou que supostamente “só há gente da AP lá dentro… Ninguém mais sabe o que está acontecendo”.

Durante a tarde, haviam-se divulgado pesquisas de boca de urna que davam título de vencedor a Lasso e que serviram para prolongar o reconhecimento da derrota e deixar uma porta aberta para a denúncia de fraude.

Por sua vez, Moreno assegurou aos seus seguidores que triunfaram nos comícios para designar-se como sucessor de Correa, que deixará o poder no próximo maio.

“Ganhamos as eleições”, disse Moreno ao adicionar que tem uma “vantagem substantiva sobre o outro candidato. É definitivo”, reafirmou.

Seguindo com um dos eixos de sua campanha, Moreno disse que será o presidente “de todos os equatorianos” e adiantou que fará uma mudança de estilo em sua administração com menos confrontação e com mais tolerância.

“Paz, harmonia. Vamos trabalhar em paz e harmonia”, disse para seus seguidores na capital equatoriana.




Tópicos relacionados

Equador   /    América do Sul   /    América Latina   /    Internacional

Comentários

Comentar