ELEIÇÕES 2018

Lava-Jato quer proibir que Lula receba visitas de Gleisi e Haddad para impedir sua campanha

quarta-feira 15 de agosto| Edição do dia

Com o avanço do período eleitoral, o Judiciário golpista tentar arrumar ainda mais vias para intervir no processo eleitoral garantindo espaço para os candidatos de preferência da burguesia, como Alckmin. Preso arbitrariamente em abril, Lula agora tem suas visitas investigadas pelo Ministério Público Federal sob acusação de que estaria tentando "ludibriar as regras e permitir que Lula interfira no processo eleitoral".

O ex-presidente possui uma lista de advogados que podem visitá-lo, assim como qualquer preso regular tem direito. Dentre os possíveis advogados de Lula, está entre eles Fernando Haddad e Gleisi Hoffman, atual presidente do PT, que são usados como exemplos de advogados que estariam tentando atuar da forma como acusa o MPF.

O judiciário lançou mão também da tentativa de atacar o tempo de TV do PT, impedindo que Lula apareça como candidato nas propagandas eleitorais, mesmo que o julgamento da possibilidade de candidatura do petista tenha finalizado.

Não apoiamos o projeto petista de governo, que por 13 anos governou sob um programa conciliador, garantindo os interesses do imperialismo através do pagamento religioso da dívida pública, que saqueia dos brasileiros 40% do orçamento que deveria ser destinado ao conjunto dos trabalhadores e da população, em acesso à saúde e educação, por exemplo. Um governo que durante toda a sua gestão não foi capaz de garantir o direito ao aborto para as mulheres, mesmo tendo Dilma no poder.

Entretanto, lutamos contra o golpe e sua continuidade, e defendemos o direito incondicional da população escolher em quem votar e repudiamos a Lava-Jato, mecanismo que possibilitou uma intervenção no regime capaz de garantir melhores condições aos candidatos que sejam porta-vozes dos interesses burgueses. A prisão arbitrária de Lula e todas as medidas que avançam dia a dia sob o direito da população escolher em quem votar, são feitas em nome da garantia de um novo governo capaz de aplicar ataques ainda mais duros do que Temer pode garantir.

Somos contrários à prisão arbitrária de Lula, defendendo sua liberdade imediata, sempre em se posicionando contrários à sua política que sistematicamente abre caminho à direita com sua conciliação e não resistência ao golpe e aos golpistas. Para fazer frente ao golpismo e sua continuidade é preciso construir nos locais de trabalho e estudo uma força que supere o PT pela esquerda.




Tópicos relacionados

Prisão de Lula   /    Julgamento de Lula   /    Operação Lava Jato   /    Lula   /    Poder Judiciário

Comentários

Comentar