Política

LAVA JATO

Lava Jato manda prender filho de Lula em tentativa de se legitimar após fracassos

Nesta terça-feira, a Lava Jato, depois de sucessivas derrotas, pediu a prisão de Fábio Luís, um dos filhos de Lula, alvo da operação Mapa da Mina, da Polícia Federal. A juíza Gabriela Hardt, de Curitiba, negou o pedido.

terça-feira 10 de dezembro de 2019| Edição do dia

Nesta terça-feira, a Lava Jato, depois de sucessivas derrotas, pediu a prisão de Fábio Luís, um dos filhos de Lula, alvo da operação Mapa da Mina, da Polícia Federal. A juíza Gabriela Hardt, de Curitiba, negou o pedido.

De acordo com a Polícia Federal, "havendo suficientes indícios de materialidade e autoria delitiva, presentes os requisitos legais do artigo 1º, incisos I e III, da Lei nº 7.960/89, e visando à coleta de provas adicionais acerca da materialidade dos delitos em tela, representamos pela decretação da prisão temporária de Fábio Luis Lula da Silva, Kalil Bittar e Jonas Leite Suassuna Filho”.

Veja também: O casamento de conveniência entre Bolsonaro e a Lava Jato acabou?

Esta nova operação é mais um dos desdobramentos da 24ª etapa da Lava Jato (Operação Alethéia), a mesma que levou arbitrariamente o ex-presidente Lula a depor através da autoritária medida de “condução coercitiva”.

Esta operação e suas decorrência foi parte do grande show organizado pelo juiz Sérgio Moro, que ganhou logo após as eleições e sua atuação durante as operações da Lava-Jato, o cargo no governo Bolsonaro.

Veja também: Derrota de Dallagnol e da Lava Jato: Senado rejeita seus indicados no Conselho do MPF

Deslegitimada após os vazamentos e a soltura de Lula, a Lava Jato, foi um dos mais importantes mecanismos judiciais utilizados pra intervir na política nacional, tendo como pilar o Judiciário, que organizou o golpe institucional e a prisão de Lula afim de garantir melhores condições para impor ataques e ajustes aos trabalhadores.

Veja também: Lava Jato ocultou gravações sobre nomeação de Lula, que contrariam Moro e mostram conciliação petista

Repudiamos a tentativa de prisão do filho de Lula, bem como as demais arbitrariedades da Lava-Jato, que avança em suas medidas para garantir um governo capaz de avançar contra os trabalhadores, aprofundando as miseráveis condições de vida e de trabalho, garantindo que a conta da crise capitalista seja jogada nas costas dos trabalhadores.

Nosso repúdio se dá no marco de não prestar nenhum apoio político ao PT, que abriu espaço para a direita conservadora e demais setores reacionários da sociedade, que hoje avançam contra os trabalhadores e população pobre. E mesmo hoje segue abrindo espaço para que os golpistas do judiciário se rearticulem, ao não mover uma palha por fora das instituições para resistir ao autoritarismo judiciário ou os ataques econômicos do governo Bolsonaro. Os crimes de corrupção, fato inerente do sistema capitalista que se usa do Estado como um balcão de negócios aos interesses dos capitalistas, deve ser combatida pelas mãos dos trabalhadores, através de julgamento dos casos por juri popular. E, além disso, os privilégios de juízes que ostentam altos salários e privilégios devem ser enfrentados impondo que seus cargos sejam eleitos e revogáveis, bem como ganhem um salário de trabalhador.




Tópicos relacionados

Operação Lava-Jato   /    Sérgio Moro   /    Operação Lava Jato   /    Lula   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar