Teoria

PRÁXIS

Lançamento livro “Estado, Governos ‘Pós-Neoliberais’ e Luta de Classes na América Latina"

sábado 21 de setembro| Edição do dia

Na última terça-feira (17 de Setembro de 2019) o Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Estado e Luta de Classes na América Latina (PRAXIS) realizou o lançamento do livro "Estado, Governos ‘Pós-Neoliberais’ e Luta de Classes na América Latina: a agonia dos atalhos nos caminhos da mudança social" organizado pelos docentes Danilla Aguiar da Universidade Federal de Rio Grande do Norte (UFRN) e Gonzalo Adrián Rojas da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

Com a participação de dezenas de estudantes, foram debatidos temas associados à perspectiva teórica e prática do marxismo focando na análise dos governos “pós-neoliberais” que ascenderam ao poder no início da década de 2000 e sua vinculação com os fenômenos políticos da luta de classes e seus impactos sobre a conjuntura política atual, representada por uma situação política reacionária e no giro à direita e extrema-direita na superestrutura política latino-americana.

O livro aglutina trabalhos que foram realizados nos últimos nove anos por integrantes do PRAXIS e incluem estudantes de graduação, pós-graduação no nível de mestrado e doutorado, tanto na UFCG como na UFRN, professores da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Universidade Federal de Rio Grande do Norte (UFRN), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) e Instituto Federal da Paraíba (IFPB), e contou com a colaboração de convidados internacionais de Argentina, México e Colômbia, a exemplo de Christian Castillo docente de Sociologia na Universidade de Buenos Aires (UBA) e de Economia da Universidade Nacional de La Plata (UNLP), na Argentina. Paula Varela docente de Sociologia da Universidade de Buenos Aires (UBA). Também participaram do livro os pesquisadores do Instituto do Pensamento Socialista (IPS) – Karl Marx; Carlos Andrés González professor de Ciência Política da Universidad del Cauca (UC) em Poyacan, na Colômbia; e pesquisador do Centro de Estudios: Pensamiento Crítico da Colômbia e Jaime Ortega da Universidad Autónoma de México (UNAM).

O lançamento ocorreu em dois momentos: o primeiro pela parta da manhã com uma mesa sobre o debate teórico de plano de fundo para a coletânea de artigos, contou com a presença do professor Gonzalo Adrian Rojas que faz parte do staff de Esquerda Diário que fez uma apresentação breve a respeito da importância do livro, que ao reunir elementos teóricos e empíricos, fornece uma leitura crítica para o entendimento das mudanças políticas, econômicas e sociais pelas quais a América Latina vem passando nesses últimos anos, e qual a sua vinculação com o recente giro à direita e extrema-direita na superestrutura política que o subcontinente vivencia.

Em seguida, a professora Danilla Aguiar teceu considerações sobre a receptividade do marxismo na América Latina. Através da reflexão em torno de autores como Mariátegui, a autora procurou explorar em sua apresentação de que forma Mariátegui promoveu uma territorilização do marxismo no subcontinente ao adaptar as especificidades das formações econômicas sociais latino-americanas a análise materialista histórica.

Pela sua vez, a professora Laudicéia Araújo, do Instituto Federal da Paraíba (IFPB), procurou explorar em sua apresentação o sistema da dívida pública brasileira e o papel do Partido dos Trabalhadores (PT) em relação a esta. Ao analisar o processo de transformismo do Partido dos Trabalhadores a autora demonstrou em sua apresentação a forma como a dívida foi tratada pelos dois primeiros mandatos dos governos Lula, honrando e aprofundando compromissos com o capital financeiro, destacando a importância da utilização do materialismo histórico-dialético na apreensão de sua análise. Na sua conclusão defendeu a necessidade de aprofundar os estudos comparativos sobre o tema entre Brasil e Argentina destacando neste último país aqueles que se mobilizam pelo não pagamento da dívida ao Fundo Monetário Internacional (FMI), como é o caso da Frente de Izquierda y de los Trabaljadores – Unidad (FIT-U).

Abaixo é possível acessar a gravação da live do lançamento do livro desta primeira mesa no Youtube ou na página do grupo Práxis no Facebook:

Na segunda parte do lançamento do livro, uma segunda mesa ocorrida pela noite, participaram o professor Nivalter Aires dos Santos da Universidade Federal de Campina Grande e doutorando no Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal de Rio Grande do Norte (PPGCS-UFRN) com a apresentação de reflexões realizadas em sua pesquisa de mestrado a respeito da questão regional do Nordeste na administração do Partido dos Trabalhadores. Ao explanar a respeito do desenvolvimentismo clássico representado pela figura do intelectual paraibano Celso Furtado, o professor Nivalter Aires fez um paralelo e uma análise crítica da forma como a política de integração regional sob o prisma do “neodesenvolvimentismo” foi sendo uma forma de reafirmação das frações burguesas do agronegócio e da construção civil na região nos governos do PT. Ao unir a perspectiva crítica do marxismo com o materialismo histórico-dialético, o autor desvelou as contradições das políticas de desenvolvimento regional e a sua correlação com a perspectiva política conciliatória adotada pelo PT.

Pela sua vez, o doutorando Eduardo Martins do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal de Campina Grande (PPGCS-UFCG) abordou em sua fala sobre o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), nas últimas décadas, sob a hegemonia petista em particular durante os governos do PT.

O autor procurou demonstrar em sua fala que a política de conciliação de classes, utilizada pelo PT, acabou materializado em plano concreto a convivência da pequena, média e grande propriedade agrícola, sendo utilizado como artifício pela administração petista o recurso da desapropriação de terras como uma forma de arrefecer a luta de classes existente no país cuja dimensão da concentração de renda ainda é marca presente na formação econômico-social brasileira.

O professor Gonzalo Adrian Rojas concluiu as apresentações abordando sobre “O parlamentarismo revolucionário como proposta transicional: uma análise do caso argentino” escrito com Shimenny Wanderley, socióloga e mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal de Campina Grande (PPGCS-UFCG), o trabalho, mesmo que original, tem elementos de estudos realizados por esta socióloga nos trabalhos de iniciação científica e do que posteriormente se tornou sua dissertação de mestrado. Foram apresentadas uma caraterização do kirchnerismo como recomposição política despois da crise orgânica de 2001 na Argentina, o surgimento do movimento de fábricas recuperadas e sob controle operário como a emblemática Zanon e o sindicalismo de base, para depois articular com o parlamentarismo revolucionário do Partido de Trabalhadores Socialistas (PTS) e a Frente de Esquerda e dos Trabalhadores (FIT). Diferenciando tática de estratégia, o professor Gonzalo Rojas explicou ao público como os legisladores da FIT - uns quarenta no plano nacional, estadual e municipal - realizam uma política vinculada à luta extraparlamentar no marco de uma estratégia revolucionária. Para isso também mencionou o legado histórico do Parlamentarismo Revolucionário e o surgimento da Frente de Esquerda e dos Trabalhadores (FIT) da Argentina, no ano de 2011. Demonstrando que para além das interpretações etapista estalinistas a luta de classes de faz presente e que a classe trabalhadora também possui táticas e estratégias para a superação do capitalismo.

Abaixo é possível acessar a gravação dessa segunda parte do lançamento do livro que ocorreu pela noite também no Youtube ou na página do Facebook do grupo Práxis:

Apresentamos também nessa matéria o sumario do livro:

SUMÁRIO

• Apresentação - Danilla Aguiar e Gonzalo Rojas

O DEBATE TEÓRICO DE PLANO DE FUNDO PARA A COLETÂNEA

• O socialismo indoamericano e a luta de classes na América Latina sob o prisma de Mariátegui - Danilla Aguiar.

• Do capital financeiro ao movimento de mundialização financeira do capital - Laudicéia Araújo.

• Selectividad estratégica del Estado: una reflexión sobre la lucha política y los gobiernos latinoamericanos -Carlos Andrés González

• Entre el reloj del poder y la hora de los pueblos: aproximaciones a la reconfiguración de las clases sociales y del Estado en América Latina, en el siglo XXI - Jaime Ortega.

FENÔMENOS POLÍTICOS NAS FORMAÇÕES ECONÔMICO-SOCIAIS DO BRASIL E DA ARGENTINA

• O bloco no poder no Brasil durante o governo Lula (2003-2010) -José Queiroz Neto.

• “Neodesenvolvimentismo” e questão nordestina: uma nova política de desenvolvimento regional nos governos petistas? - Nivalter Aires dos Santos.

• “Neodesenvolvimentismo” brasileiro sobre a América Latina: uma nova reconfiguração territorial no subcontinente? - Janaina Freire dos Santos.

• Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra e os governos do Partido dos Trabalhadores - Eduardo Martins de Brito.

• Ideologia e criminalização dos movimentos sociais: uma análise conceitual - Paula Oliveira Adissi.

• Los desafíos de la izquierda clasista en la Argentina - Christian Castillo.

• El sindicalismo de base en la Argentina postdevaluación: Hipótesis sobre sus alcances y potencialidades- Paula Varela.

• O parlamentarismo revolucionário como proposta transicional: uma análise do caso argentino Gonzalo A. Rojas e Shimenny A. Wanderley.

• As frentes classistas como possibilidade programática e eleitoral: a FIT argentina - Pablo Thiago C. de Moura

AS MUDANÇAS CONTEMPORÂNEAS NOS PAÍSES DA ALTERNATIVA BOLIVARIANA PARA AS AMÉRICAS (ALBA): OS CASOS DA BOLÍVIA E VENEZUELA

• Limites do “constitucionalismo transformador”: o caso boliviano em questão - Soraia de Carvalho.

• Venezuela chavista: a revolução bolivariana e o bloco no poder - Rennata Muniz.

• Venezuela: caracterização do nacionalismo chavista e a inter-relação do seu programa com a crise política atual - Daniele Silva.

Para acesso ao livro na íntegra, basta baixá-lo utilizando o link: http://abre.ai/praxisufcg

Acrescentamos que semanalmente o Grupo Praxis realiza leituras clássicas do marxismo e debate sobre textos produzidos pelos integrantes do grupo. Essas reuniões são abertas a público, para acompanhar os dias de reuniões e conteúdos a serem debatidos, basta seguir o grupo nas seguintes redes sociais:

Instangram: https://www.instagram.com/praxisufcg/?hl=pt-br

Facebook: https://www.facebook.com/praxis.marx.9

A contracorrente do que acontece na academia, onde o comum é a fragmentação do conhecimento em termos pós-modernos, consideramos relevante realizar análises teóricos e políticos que contribuam para uma melhor intervenção na luta de classes desde uma perspectiva teórica ofensiva do marxismo com são os trabalhos reunidos nesse livro.




Tópicos relacionados

Campina Grande   /    Universidades Federais   /    Marxismo   /    Teoria

Comentários

Comentar