Teoria

ROSA LUXEMBURGO

Lançamento do livro Rosa Luxemburgo: pensamento e ação na UFABC

Na ultima quarta (27), ocorreu o lançamento do livro “Rosa Luxemburgo: pensamento e ação”, escrita por Paul Frölich e traduzido e publicado pelas editoras Iskra em parceria com a Boitempo.

quinta-feira 28 de fevereiro| Edição do dia

A atividade organizada pelo grupo de mulheres Pão e Rosas contou com a presença da professora Suze Piza, docente da Universidade Federal do ABC (UFABC) e da professora Maíra Machado, professora de sociologia no Estado de São Paulo e militante do Pão e Rosas no Brasil.

O lançamento dessa biografia vem num momento essencial e se mostra como uma herança fundamental para as lutas hoje. Maíra Machado fez uma abertura que nos fez reviver toda a história dessa importante revolucionária polonesa, desde o início de sua militância ainda muito jovem, até seu assassinato pela social democracia alemã. Rosa Luxemburgo demonstra toda paixão e alegria que a moviam na causa revolucionária e suas batalhas pela construção de um partido revolucionário que passaram por debates e enfrentamentos muito profundos, ainda mais se pensarmos seu tempo. Todas as batalhas contra seu próprio partido, no caso a social democracia alemã, que se degenerava, buscando construir uma força real da classe trabalhadora e sempre acreditando nesta como a protagonista da revolução socialista.

Suze Piza levantou, a partir do levantamento histórico colocado pela professora Maíra, alguns dos pensamentos colocados por Rosa Luxemburgo durante sua vida, quando escreve “Socialismo ou Barbárie”, por exemplo para justificar seu pensamento de que Rosa desenvolve ao longo de sua vida uma “teoria para a revolução” que não está apenas no papel, mas se coloca como respostas a realidade de seu tempo. Para além de seu tempo os estudos e escritos de Rosa Luxemburgo se fazem atuais, no combate a burocracia sindical, na luta pelo protagonismo da classe trabalhadora, no desejo da revolução.

Ao fim da atividade as duas professoras responderam a questionamentos colocados pelos alunos presentes que levou a um rico debate sobre a situação atual do país, a reforma trabalhista, a eminente reforma da previdência, e quais os caminhos das mulheres e da classe trabalhadora de conjunto para combater o reacionarismo do governo Bolsonaro, a luz do pensamento de Rosa Luxemburgo motivou esse debate, que reacende e/ou inflama o desejo pela revolução, pelos métodos da classe trabalhadora, contra o governo de Bolsonaro, mas também contra a ascensão da extrema-direita em todo mundo com um forte anticapitalismo nas ideias.

A atividade se encerrou com uma enorme solidariedade prestada, pelos alunos da UFABC e as professoras presentes, aos trabalhadores da FORD, nesse momento em que a fábrica ameaça fechar a planta de São Bernardo, que causará diretamente mais quase 3 mil demissões além de 24 mil postos de trabalhos prejudicados indiretamente.

Nesses dias que precedem o 8 de Março é fundamental estudarmos, conhecermos e nos apropriarmos da luta de mulheres como Rosa Luxemburgo, desde o grupo de mulheres Pão e Rosas colocamos a necessidade da organização das mulheres e de todos os trabalhadores contra o machismo e o capitalismo, contra as figuras misóginas de Bolsonaro e Trump, ao lado dos trabalhadores da FORD, mas também de toda a classe trabalhadora contra a reforma da previdência que nos pretende fazer trabalhar até morrer e pela revogação da reforma trabalhista que nos pretende fazer morrer de trabalhar.

Leia também: Rosa Luxemburgo: pensamento e ação




Tópicos relacionados

UFABC   /    Pão e Rosas   /    Rosa Luxemburgo   /    ABC paulista   /    Teoria

Comentários

Comentar