Política

SANTO ANDRÉ (SP)

Lançamento da pré candidatura da Prof. Maíra Machado reúne trabalhadores, mulheres, negros e LGBTs

Entre mulheres, negros e LGBTs, participaram da atividade estudantes da Fundação Santo André, professores da rede pública, secundaristas, garis, trabalhadores da indústria, entre outros setores que foram prestigiar e construir coletivamente essa candidatura.

segunda-feira 25 de julho de 2016| Edição do dia

Jenifer Tristan, ativista do Movimento Negro coordenou a atividade expressando a importância de construir uma voz que possa levar a frente as demandas do povo negro.

Virginia Guitzel, militante do Grupo de Mulheres Pão e Rosas e ativista LGBT fez a primeira saudação do evento, dizendo que se sentia feliz por ver a oportunidade de construir uma voz anticapitalista que coloque a frente as demandas dos LGBTs no país mais transfóbico do mundo, que é o Brasil. Virginia denunciou as centenas de assassinatos de homossexuais e travestis e a impunidade marcada fortemente e alentada pelos governos e pela polícia. Encerrou sua saudação fazendo um chamado para que todos os presentes se integrem a campanha e ajudem a construir uma voz anticapitalista que possa responder de forma mais profunda as demandas dos LGBTs.

Depois Ricardo Alvares, pré candidato a prefeito pelo PSOL e o professor Chicão, pré candidato a vereador, também saudaram a atividade. Ricardo, colocou que uma candidatura que se lança a partir de uma atividade como a que acontecia naquele momento se mostrava como uma candidatura viável, além disso, ressaltou a necessidade de apoiar uma candidatura feminina e de luta, já que o PSOL é a única legenda de esquerda que está concorrendo nas eleições municipais com a tarefa de abalar as estruturas do sistema. Ricardo expressou as alianças do PT com partidos como PSDB e seu envolvimento na lava jato, terminou sua fala chamando todos que estavam na atividade a apoiar e construir a candidatura de Maíra. Professor Chicão falou na sequência, lembrando que esteve lado a lado de Maíra em diversas lutas, como o comitê contra o aumento das passagens e também na greve dos professores da rede pública.

Diana Assunção, militante do MRT e pré candidata a vereadora em São Paulo, saudou a atividade, dizendo que estava muito feliz e que compartilha com Maíra uma luta cotidiana há mais de 10 anos. Diana explicou que o MRT está lançando candidatos em São Paulo, Santo André, Campinas, Rio de Janeiro e Contagem, com a legenda do PSOL e com uma composição majoritária de mulheres e professores da rede pública. Colocou também que essa candidatura não tem a perspectiva de ser apenas uma voz anticapitalista, mas também de enfrentar os políticos corruptos e os grandes empresários que atacam a vida da população, para isso é necessário construir muitas vozes anticapitalistas, que se enfrentem com o governo golpista, mas que saiba que o PT não é uma alternativa para os jovens e trabalhadores.
Flavia Valle, pré candidata do MRT em Contagem também saudou a atividade dizendo que lá os trabalhadores padecem das mesmas mazelas que enfrentam os trabalhadores do ABC, com demissões e queda na qualidade de vida. Os capitalistas querem descarregar a crise nas costas dos trabalhadores e essas candidaturas devem se conformar como milhares de vozes para fortalecer a luta contra os ataques aos setores mais explorados da população, junto a milhares de negros, mulheres e LGBTs.

Christian Castillo, deputado nacional da Frente de Esquerda e dos Trabalhadores da Argentina foi chamado para falar e saudou a atividade em nome do PTS, Partido de Trabalhadores Socialistas, da Argentina. Christian colocou que o internacionalismo do PTS não é só de palavras e que no 1 de maio desse ano reuniram milhares de militantes nas embaixadas brasileiras para repudiar o golpe da direita que se desenvolvia aqui. De forma bem parecida com o processo político argentino, Christian ressaltou que vivemos anos no Brasil com um governo que dizia ser representante dos trabalhadores, mas que governava em benefício dos capitalistas. Também falou que faz parte da FIT (Frente de Esquerda e dos Trabalhadores) com outras correntes da esquerda argentina e que ao contrário dos políticos arrivistas, enxerga que os postos no parlamento devem ser para a luta com três objetivos: colaborar com a mobilização dos trabalhadores e dos explorados, denunciar as negociatas entre os capitalistas e políticos da burguesia e em terceiro lugar, ajudar a classe trabalhadora a avançar em sua consciência de classe.

Christian que recebeu o mesmo salário que uma professora, mesmo ocupando um posto parlamentar, e doou todo o restante de seu salário para a luta dos trabalhadores, explicou que o objetivo de ocupar um posto parlamentar para os revolucionários, deve ser encabeçar um grande movimento de luta protagonizado pela classe trabalhadora, para derrotar os capitalistas e construir um governo dos trabalhadores. Encerrou sua fala dizendo que a classe trabalhadora pode fazer na realidade os Estados Unidos Socialistas da América Latina e que cada um que participava desse lançamento deveria ver que a não é a Maíra a candidata e sim todos que estavam ali, numa candidatura coletiva para representar a voz dos LGBTs, dos jovens e trabalhadores.

Por fim falou Maíra Machado, agradecendo a presença de todos, alunos e ex alunos, familiares e companheiros de luta. Maíra expressou que essa candidatura está sendo construída junto ao Esquerda Diário e a partir do Comitê anticapitalista em Santo André, que aglutina diversos setores de independentes que contribuem com ideias e força militante para criar uma enorme força na cidade, colocando em primeiro lugar a demandas dos setores mais oprimidos e explorados da sociedade. Maíra contou das lutas em que esteve junto a trabalhadores de diversas categorias, nas greve dos professores, junto aos garis e em luta contra a burocracia sindical, além disso, colocou que junho de 2013 rompeu com a passividade que reinava no país e que a juventude e os trabalhadores estavam lutando e poderiam juntar forças para derrotar o governo golpista e seus ataques, sua candidatura estará a serviço das lutas dos trabalhadores.

Maíra terminou sua intervenção fazendo um forte chamado para que todos que estavam ali se integrem ao Comitê Anticapitalista em Santo André e anunciou que a próxima reunião ser na quarta, dia 27 de julho, as 18hs na Concha Acústica no centro de Santo André.

VEJA ABAIXO O VÍDEO COMPLETO DA ATIVIDADE DA FILMAGEM AO VIVO, EM BREVE TEREMOS VIDEOS EDITADOS




Comentários

Comentar