Negr@s

#BLACKBRAZILIANS MATTER

Lançado em São Paulo movimento Black Lives Matter Brazil

Com cerca de 300 pessoas, lançamento contou com diversas entidades do movimento negro

sexta-feira 18 de novembro| Edição do dia

Foto: Mães de Maio

Na noite de ontem, no Salão dos Estudantes da Faculdade de Direito do Lgo São Francisco, o movimento das Mães de Maio, junto com diversas organizações do movimento negro e do movimento social como o MNU (representado na mesa Por Milton Barbosa), o Núcleo de Consciência Negra/ USP, Kilombagem, Associação de Mães e Pais de secundaristas, UNEGRO (PC do B), CONEN (PT), o ex- candidato a vereador Douglas Belchior, entre outras, estavam presentes para o lançamento do livro Mães em Luta, sobre os 10 anos de luta do grupo das Mães de Maio, em parceria com a Ponte Jornalismo, com depoimentos de integrantes do movimento em São Paulo e pelo Brasil. Como parte deste dia, foi dado um importante passo na nossa luta contra o racismo estrutural: foi lançada também a campanha internacional #Blackbraziliansmatter, em parceria com o Black Lives Matter estadunidense.

O evento contou com mais de 300 pessoas que lotaram o Salão dos Estudantes, e foi marcado por falas contra o sistema prisional e a Polícia, além de criticas ao sistema judiciário, que relacionavam estes três como parte do racismo institucional que vemos no dia a dia matando e perseguindo. os negros e pobres.

Estavam presentes, além de integrantes de diversas organizações do movimento negro, mães, irmãos e amigos dos 5 meninos assassinados na chacina que ocorreu este ano na Zona Leste de São Paulo, dos mortos da Chacina de Osasco, a irmã da Luana Barbosa e a mãe de uma das jovens presas na Fundação Casa de Taipas, que denunciou os abusos sofridos pelas jovens na última sexta-feira, onde algumas dessas jovens foram torturadas e espancadas pelos carcereiros, tendo algumas com lesões graves como ossos e costelas quebrados, e que seguem sem direito a visita e sem atendimento médico. O grito desses familiares foi um só: chega de viole e impunidade policial.

O plenário contou ainda com a presença de diversos artistas, como o poeta Sérgio Vaz entre outros, que reclamaram poemas e músicas em homenagem a luta do Mães de Maio e contra a polícia, reconhecidamente racista.

Este movimento pode abrir um importante espaço para uma reorganização do Movimento Negro, que se articule com os movimentos de direitos humanos, organizações estudantis e do movimento operário para que aqui no Brasil as chacinas não passem impunes. Contra o racismo, o capitalismo e a xenofobia! Nossos mortos terão voz!




Tópicos relacionados

São Paulo (capital)   /    Negr@s

Comentários

Comentar