Cultura

RAP CAMPINAS

Kabbalah Mc´s - Conto de dois (homofobia)

Além de Lucy, outros artistas chamaram muito a atenção durante o Sarau do Acampamento Anticapitalista de Secundas: Kabbalah Mc´s. Apresentamos sua música Conto de dois (Homofobia).

sexta-feira 5 de fevereiro de 2016| Edição do dia

Kabbalah Mc’s é parte da nova geração do rap de Campinas. O trio formado por Alice, FM e Pardinho está na cena a mais o menos dois anos, com o primeiro projeto em processo de finalização, a EP pra cada dia da semana, produzida por Dalua.

Acompanhe a apresentação e letra da música Conto de Dois (Homofobia), e em breve entrevista com a banda e cobertura das próximas apresentações.

CLIQUE AQUI PARA VER O VÍDEO

Conto de Dois(Homofobia)

F.M. :

A quem é marcado por ser diferente, pela escolha de amar inconsequentemente ao ponto de não ser aceito socialmente, já que depende de coração e não mente olhando pra si ce não mente, irmão. Seguir o amor não te faz doente.

Não seja doente e elimine o virus posto onde é proposto, nunca siga o oposto independente do teu posto e não deixe que a cultura oprima quem luta pelo sentimento e que o sentimento de luta nunca morra dentro de quem busca a liberdade de amar e caminhar pela rua.

Nu ou nua ?

A paixão não identifica o acrescentado.

Seu ou sua ?

Relacionar-se a ter alguém do seu lado. Desde pequeno ensinado geneticamente mudado, mas oque que vão pensar da maquiagem do menino ?

Pior que não vão pensar porque não faz parte do ensino, dessa raça homofóbica, sem massa cerebral que prega o princípio do bem e acaba praticando o mau.

Cade,

A tão falada liberdade ?

Mais uma menina foi espancada por conta de sua sexualidade.(2x)

Refrão:

Apenas um comum de dois, que esse se sobrepôs e não deixou pra amar depois

( pra que amar depois ? )

Te da asas amar em liberdade, independente de chuva ou tempestade Veras no céu a diversidade (2x)

Pardinho:

Crucificado por quem diz prega o amor, independente da raça se contradiz quando tromba um na calçada.

Paz pra eles nunca existiu, quando sai na rua perde a conta de quantos psiu. (olhar frio)

Humilhação de quem idealiza a tradicional família perfeita, exige respeito porém não respeita.

Diz amar ao próximo e ensinar seus filhos o bom costume, queimando os fracos de perfume

Cade,

A tão falada liberdade?

Mais uma menina foi espancada por conta de sua sexualidade.(2x)

Porque que tem que ser o oposto, e não o preposto, segue o seu gosto, é de amor que um casal é composto.

Pensamento doentio, colocou pra fora de casa, tentou te dar um abraço e você disse: Se afasta.

Nojo ou ignorância?

Falta de amor e esperança !

No fim sua arrogância não terá tolerância.

Quer busca grandeza no desmerecimento, se rebaixa a cada ato violento.

Abra a sua mente, gay também é gente!

Mas esse verme não liga quando azul é a cor mais quente...

Quando azul é a cor mais quente, abra a sua mente, gay também é gente!

Dalua / Alice :

Insultos atingem, o coração sente.

O que os olhos vêem o coração sente.

Somos todos iguais perante ao pai, presta atenção irmão

Nada muda, nada Mesmo !

Sua opção não é sua escolha, não !

Mas eu sei bem, tem um peso !

Nas ruas eu vejo, largados sempre sob despejo.

E não posso mentir, quantas vezes flertei com a maldade no olhar...

SIM POSSO JULGAR VOU APONTAR. RÁ!

Prefiro olhar pra trás e sentir nojo

Hoje eu reconheço parceiro

Nota esse gosto ?

De preconceito mútuo.

Você vai seguir o fluxo ?

Não quero me ver sujo, com quem vê como piada...

Que o desrespeito escorra pela calçada, toda vez que ce tromba com dois mano de mão dada.

Isso aqui é Brasil !

Quantos vão se deparar, vão olhar e fingir que não viu ?

Isso aqui é Brasil !

A gente precisa parar de olhar e fingir que não viu ! (2x)

* Viva todas as formas de amar, todas...

Sem exceção.

Ame!




Tópicos relacionados

Homofobia e Transfobia   /    Música   /    LGBT   /    Cultura   /    Gênero e sexualidade   /    Juventude

Comentários

Comentar