Juventude

ATO NO ABC

Juventude Faísca é linha de frente no segundo ato contra o aumento da tarifa de ônibus em Santo André

Ontem dia 17/01 aconteceu o segundo ato contra o aumento da tarifa de transporte “público” em Santo André, que passou a cobrar R$ 4,20 no início de janeiro desde ano

quarta-feira 18 de janeiro de 2017| Edição do dia

Ontem dia 17/01 aconteceu o segundo ato contra o aumento da tarifa de transporte “público” em Santo André, que passou a cobrar R$ 4,20 no início de janeiro desde ano, um aumento de 10,52% valor este acima da inflação. O aumento foi aprovado no final do mandato petista, porem o novo prefeito tucano manteve esta tarifa absurda.

Dezenas de pessoas se concentraram no calçadão da Oliveira Lima, deixando o microfone aberto para que vários trabalhadores pudessem expressar toda sua indignação contra o aumento da tarifa, o bloco da Juventude Faísca já no inicio do ato deixou explicito sua independência politica deixando claro que este aumento foi aprovado pelo PT e a atual prefeitura do PSDB um partido golpista manteve o aumento, e que lutaremos pela estatização do transporte sob controle dos trabalhadores e usuários o ato também contou com a participação da UJS porem os mesmos só se contentaram em apenas atacar o atual prefeito tucano, mas em nenhum momento citaram os conchavos do PT e do PCdoB com os partidos golpistas que apoiam a patronal.

Após a concentração o ato percorreu todo o calçadão, convidando os trabalhadores a se juntarem a luta, pelo fim da máfia dos transportes e pela estatização, ainda percorreu as principais avenidas do centro e finalizou com a chegada em frente à estação de trem, mais uma vez deixando o microfone aberto para os trabalhadores.

A Juventude Faísca mais uma vez foi linha de frente neste ato com um forte bloco, e convidamos a juventude e trabalhadores a participarem do próximo ato, pois entendemos que só através de uma forte luta contra os grandes empresários da máfia do transporte e pela estatização e controle dos usuários e trabalhadores que poderemos garantir que de fato o transporte seja publico gratuito, de qualidade e que atenda as verdadeiras demandas da classe operaria.




Comentários

Comentar