Mundo Operário

GREVE DOS CORREIOS

Justiça declara abusiva greve dos Correios mostrando que está contra os trabalhadores

Em declaração no dia de ontem, o ministro Emmanoel Pereira,vice-presidente do TST (Tribunal Superior do Trabalho), afirmou que a greve dos correios é abusiva, justificando isso com o incabível argumento de que a greve não poderia ocorrer pela negociação em andamento. Frente a isso, os Correios emitiram uma nota exigindo a volta à atividade de todos os trabalhadores.

sexta-feira 29 de setembro| Edição do dia

Como noticiamos aqui no Esquerda Diário, a greve dos correios teve seu início deflagrado justamente pela empresa ter fugido das negociações desde Agosto e em poucos dias atingiu todos os 26 Estados do país. A greve teve início no dia 20 de Setembro, mas as duas maiores bases, Rio de Janeiro e São Paulo, aderiram à greve somente no dia 26. Em Estados como Pernambuco, a categoria chegou a 63% de adesão, mostrando a força da luta contra a reforma trabalhista e as privatizações e a raiva dos trabalhadores contra Guilherme Campos e Temer.

Uma liminar concedida na terça-feira (26) que exigia 80% de funcionamento da empresa já não vale mais e o ministro afirmou inclusive que "cabe ao empregador adotar as providências que entender pertinentes, conforme sua conveniência, partindo da premissa de que para tais trabalhadores não há greve, mas simplesmente ausência ao trabalho", praticamente ameaçando os trabalhadores dos Correios de demissão.

Esta justiça que joga contra os direitos dos trabalhadores dos Correios é a mesma que mantém Rafael Braga encarcerado e acata parcialmente à uma liminar que pretende tratar LGBTs como doentes. Também é a mesma que por meio da Lava Jato implementou o golpe institucional junto aos políticos golpistas e não merece nenhuma confiança dos trabalhadores. Mais do que nunca: é hora de fortalecer a greve dos correios.

Participe da nossa campanha de apoio!


Flávia Telles e Guilherme Zanni, estudantes da UNICAMP, em apoio à Greve dos Correios




Tópicos relacionados

Greve dos correios   /    Correios   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar