PELA EXPROPRIAÇÃO DA JBS

Justiça bloqueia bens da Família Batista: É preciso avançar para a sua expropriação

Os bens da familia Batista foram bloqueados hoje mais cedo. É preciso ir muito além e lutar pela desapropriação dessa corja de poderosos que lucra especulando com a fome, o avanço a amazônia e é campeã de acidentes de trabalho.

sexta-feira 6 de outubro| Edição do dia

Os bens de Joesley Batista e de seu familiares foi bloqueado hoje mais cedo, devemos lutar pela expropriação desse grupo capitalista, a J&F, um grupo monopolista intrincado em negociatas com a casta de corruptos, que é controlada por uma empresa norte-americana, a Blessed Holding, que por sua vez é de controle de 2 fundos localizados nas Ilhas Cayman. De 2011 a 2015 a deixar 7.822 funcionários da empresa doentes ou incapacitados para o trabalho, o que equivaleria a cinco acidentes por dia durante todo o período uma "campeã de acidentes de trabalho".

Leia Também: 5 motivos para expropriar a JBS e coloca-la sob controle dos trabalhadores

A família respondeu em nota que irá recorrer da decisão grupo J&F, por meio de seus advogados, está entrando com recursos cabíveis no Tribunal Regional Federal para reverter a decisão do juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal de Brasília, segundo nota da defesa do grupo divulgada nesta sexta-feira, 6. A nota diz que a Justiça "baseada em premissas falsas determinou o bloqueio dos bens da família Batista e de suas empresas". Segundo o comunicado, a defesa vai sustentar que houve "manifesta ausência de fundamentação" na decisão do juiz de primeira instância e demandar que prevaleça a decisão anterior, que liberou os bens dos empresários. "A decisão é juridicamente frágil porque, em vez de consultar as leis e a documentação disponível sobre os acordos de colaboração premiada e de leniência, o magistrado se baseou em notícias divulgadas pela mídia nacional", afirma.

A defesa com extremo cinismo afirma ainda que a decisão do juiz causa perplexidade porque atinge não apenas os empresários e seus familiares, mas milhares de funcionários do grupo. Como se seus funcionários defendessem os mesmos interesses que os seus, de um grupo monopolista financeirizado, cuja atuação é intrincada com a corrupção e o jogo de favorecimentos com politicos, e que lucra bilhões com a especulação, a derrubada de florestas e o comércio de alimentos, manipulados a seu bel-prazer, com até papelão no condimento das carnes.

A defesa alega que o juiz se refere equivocadamente à rescisão do acordo de colaboração premiada de Wesley Batista, "sem atentar para o fato de que isso nunca foi nem solicitado pela Procuradoria-Geral da República". Sobre o acordo de Joesley Batista, a defesa reitera que não houve rescisão e que "continua em pleno vigor, pois o pedido de rescisão não foi homologado pelo Supremo Tribunal Federal".

Mais cedo Lauro Jardim anunciou em seu blog que o juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal de Brasília, havia determinado hoje (6) mais cedo o bloqueio de todos os bens da família Batista e de suas empresas.

No total, a decisão de Leite alcança 21 pessoas físicas e jurídicas, aí incluídos Joesley, Wesley, José Batista (pai), Flora (mãe), Viviane, Wanessa e Valeria (irmãs de Joesley e Wesley), além da J&F Investimentos, J&F Participações e diversas outras empresas da família com nomes pouco conhecidos, como JJMB.

Leite enviou ao BC sua decisão, que foi repassada hoje a todos os bancos brasileiros.

Em maio, o mesmo Ricardo Leite, que autorizara dias antes a Operação Bullish contra os Batista, já havia decretado o bloqueio de bens dos irmãos. Dias depois, eles conseguiram reverte a decisão com um recurso.

A justiça que prendeu Rafael Braga e que avança todos os dias contra os trabalhadores não pode ser porta-voz da população, suas operações são instrumentalizadas pelos poderosos para lucrar ainda mais, com cadeias super lotadas em que poucos são julgados e mais de 70% é preta e favelada. É preciso ir muito além e ter uma luta independente própria dos trabalhadores que avance sob a propriedade privada desses grandes monopólios e poderosos a qual o sistema de corrupção serve para alimentar. Afinal, os mais de 1800 corruptos comprados pela JBS em sua jornada de favorecimento eram seus funcionários diretos, muito além da falácia burguesa que quer por culpa na corrupção pela crise econômica, que na verdade foi alimentada e criada por esses grandes grupos capitalistas.

FOTO: GAZETA DO POVO

Com informações da Agencia Estado




Tópicos relacionados

Joesley Batista   /    JBS   /    Que os capitalistas paguem pela crise!

Comentários

Comentar