Política

PRIVILÉGIOS DO JUDICIÁRIO

Justiça autoriza licitação de lagostas e vinhos para o STF, enquanto pedem “sacrifícios” à população

Não contentes em exigir que a população faça "sacrifícios", como trabalhar até morrer a partir da aprovação da reforma da previdência, a casta elitista de juízes ainda esfrega seus privilégios na classe trabalhadora, autorizando para si mesma uma licitação no valor total de R$ 1,13 milhão para aquisição de itens de luxo, como lagosta, vinhos, whisky e carré.

terça-feira 7 de maio| Edição do dia

Em mais um episódio que evidencia os privilégios da casta golpista de juízes e desembargadores do judiciário, o desembargador Kassio Marques liberou uma licitação para compra de vinhos, lagostas e outras gêneros de luxo para o STF. Essa licitação já havia sido antes negada pela juíza Solange Salgado da 1° Vara federal de Brasília, mas no entanto foi retomada e validada pelo desembargador com o argumento de que “não lesa a moralidade administrativa”.

Desde o golpe o autoritarismo judiciário assumiu o protagonismo da implementação dos ataques a classe trabalhadora do país, e, atualmente, no governo Bolsonaro é parte do núcleo duro dos setores burgueses que exigem a imediata aprovação da reforma da previdência com vistas a alcançar o "equilíbrio fiscal" no país. Ainda assim, descaradamente, realizam uma licitação para a aquisição de itens de luxo com o valor total de R$1,13 milhão. Além da compra de lagostas e vinhos premiados, a licitação também pede a compra de whisky 18 anos e carré de cordeiro.

Esta não é a primeira vez que o STF demonstra seus privilégios, além dos super salários (R$39,3 mil) dos ministros que apoiam a censura e a reforma de previdência, somam benefícios, como auxílio moradia no valor de R$ 4 mil, tudo isso pago com dinheiro de impostos em cima da classe trabalhadora.

Juízes e magistrados não são eleitos pelo povo, mas exercem seu poder de forma autoritária, como no recente caso de censura às revistas lavajatistas Crusoé e O Antagonista, ou na prisão arbitrária de Lula. Representam profundamente os interesses das alas mais repressoras do estado capitalista, precisamente as alas mais escravagistas alinhadas com os interesses do imperialismo que querem aprovar a reforma de previdência que vem para nos fazer trabalhar até morrer com uma quantidade mínima de direitos enquanto todos os serviços públicos são sucateados e privatizados.

Frente esse programa de ataques neoliberais que a casta de juízes privilegiados busca implementar, é necessário que a classe trabalhadora imponha pela sua mobilização uma saída para a crise. O autoritarismo judiciário vai de mãos dadas com os ataques neoliberais. Por isso, é necessário que todos os juízes sejam eleitos pelo povo, com cargos revogáveis e que eles recebam o salário de uma professora. É somente pela mobilização dos trabalhadores, rompendo com a passividade das centrais sindicais, que não organizam a luta em cada local de trabalho e estudo, que será possível barrar a reforma da previdência e batalhar por uma alternativa dos trabalhadores.




Tópicos relacionados

STF   /    Política

Comentários

Comentar