Política

LAVA JATO

Justiça aceita denúncia de mais um ex- tesoureiro do PT na Lava Jato

O juiz Sergio Moro aceitou nesta última sexta – feira contra Paulo Adalberto Ferreira, ex- tesoureiro do PT, e outras 13 pessoas sob acusação de corrupção, lavagem de dinheiro e cartel na Petrobras.

Guilherme de Almeida Soares

São José dos Campos

segunda-feira 15 de agosto| Edição do dia

Esta é a primeira vez que Ferreira, que antecedeu João Vaccari Neto na tesouraria do PT, se tornou réu na Lava Jato.

Ferreira é acusado de ter recebido cerca de R$ 1 milhão em propina na obra do Canpes (Centro de Pesquisa da Petrobras), no Rio de Janeiro – investigada na 31ª fase da operação. De acordo com os procuradores, os valores foram direcionados a conta de seus familiares, empresas terceiras e até uma escola de samba em Porto Alegre, base eleitoral do ex – tesoureiro.

No total, R$ 20 milhões foram desviados do contrato, segundo a denúncia. A construção foi iniciada em 2008 e custou cerca de R$1 bilhão.

Também viraram réus os empresários responsáveis pela obra, as construtoras OAS (Leo Pinheiro, ex- presidente e Agenor Franklin Medeiros), Construcap (Roberto Capobianco e Estrato Messias da Silva Junior), Construbase (Genésio Schiavinato Junior), Schahin (Edison Freire Coutinho e José Antônio Marsílio Schwarz) e Carioca Engenharia (Ricardo Backheuser Pernambuco). Eles são acusados de acertar o valor do contrato e, pagar propina para agentes da Petrobras e membros do PT.

O ex – diretor da estatal Renato Duque também esta entre os acusados – além de quatro operadores do Esquema (Adir Assad, Roberto Trombeta, Rodrigo Morales e o advogado Alexandre Romano), que fizeram a operação financeira, por meios de contratos de fachada e pagamentos no exterior.

É inegável que a Lava Jato continua avançando contra o PT, cujo objetivo da Operação agora é fragilizar este partido para que não se tenha nenhuma pretensão eleitoral em 2016 e 2018. O mesmo tempo que avança contra o PT, continua com a sua postura arbitraria ao propor dividir o maior processo da Operação, para assim focar no partido de Lula e Dilma e depois avançar em alguns integrantes de outros partidos como o PP, PMDB para dar uma aparência democrática ao Judiciário.

De outro lado, o PT assemelhou muito bem os métodos da direita de governar ao propor fazer acordos espúrios com grandes empresários e banqueiros do país. Foi o PT um dos responsáveis que fortaleceu a direita no país, ao ter feitos inúmeros acordos e conchavos para alcançar uma suposta ‘’governabilidade’’. Agora o PT vê a direita atacar este partido e não expressa nenhuma reação.

O PT não pode ser uma saída para a crise econômica e política do país, pois para mostrar ser uma alternativa viável aos empresários vem capitulando para a direita. É preciso impedir que a crise do PT seja canalizada pela direita, pois o que estes querem é acabar com o partido para abrir espaço para setores que sejam mais alinhados com o imperialismo. Ao mesmo tempo, os trabalhadores em conjunto com os demais setores populares precisam superar a crise do petismo pela esquerda, propondo uma saída independente para a crise política e econômica capitalista que o país vive hoje.




Tópicos relacionados

PT   /    Operação Lava Jato   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar