Sociedade

ARBITRARIEDADES DO JUDICIÁRIO

Juíza que concedeu prisão domiciliar a Roger Abdelmassih negou benefício à lactante

sexta-feira 2 de fevereiro| Edição do dia

Em mais um caso ilustrativo da profunda arbitrariedade do Judiciário, a juíza Laurita, primeira mulher a presidir o STJ, negou um pedido para que uma lactante respondesse a processo em casa. Laurita Vaz é a mesma juíza que concedeu ao médico Roger Abdelmassih a prisão domiciliar.

A mulher, que é ré primária, responde por crime de tráfico de drogas, presa em flagrante portando a quantidade de 8,5 gramas de maconha. Na decisão, Vaz alegou ainda que a mãe não conseguiu comprovar ser imprescindível para os cinco filhos.

O STJ é mesma instância julgará o recurso da defesa de Lula contra sua condenação. A defesa de Lula é em primeiro lugar a defesa contra esta escalada de arbitrariedades do Judiciário, que como vemos nesse caso se volta contra o conjunto da população.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Poder Judiciário   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar