Sociedade

RACISMO INSTITUCIONAL

Judiciário compactua com racismo e absolve juíza que mandou algemar advogada negra

terça-feira 25 de setembro| Edição do dia

O desembargador Joaquim Domingos de Almeida Neto, que julgou a intervenção racista da polícia e da juíza Ethel de Vasconcelos que mandou algemar a advogada Valéria Lucia dos Santos durante uma audiência judicial em Duque de Caxias - RJ, absolveu a juíza alegando absurdamente que a advogada se jogou no chão e "precisou" ser algemada momentaneamente para sua própria segurança.

Ele decidiu absurdamente também que a "versão da advogada Valéria Lucia dos Santos de que ’levou uma rasteira, uma banda, suas mãos colocadas para trás e algemada’ está em colisão com todo o restante da prova que afirma que ela se jogou no chão e se debatia quando veio a ser momentaneamente algemada, até que o representante da OAB chegou e ela se acalmou, havendo pronta retirada das algemas."

O que essa decisão mostra é que para o judiciário golpista não basta aprofundar o golpe e os ataques aos trabalhadores, jovens, negros, mulheres, LGBT’s. Também não basta colocar a polícia nas favelas para reprimir a população, derrubando sangue, fazendo um completo extermínio nas periferias. Nos espaços do judiciário, uma advogada negra é calada a força pela polícia e nada é feito em relação a isso. Nos locais de trabalho e estudo precisamos erguer nossas vozes contra esse judiciário golpista e racista! Não podemos aceitar.

Ver mais sobre o caso




Tópicos relacionados

Mulheres   /    Sociedade   /    Poder Judiciário   /    Racismo

Comentários

Comentar