Política

JUDICIÁRIO

Judiciário brasileiro gasta R$104 milhões com auxílios para juízes

Segundo levantamento feito pelo UOL, o Judiciário brasileiro gastou só no mês de abril R$ 104,6 milhões em auxílios para juízes, desembargadores e ministros, os dados acerca dos procuradores não puderam ser levantados porque os Ministérios públicos se negaram a divulgar a informação.

sexta-feira 24 de agosto| Edição do dia

Além dos super salários e auxílios que os juízes e membros dos Ministérios já recebem, pretendem ter um reajuste salarial de 16% para o ano de 2019 e a pauta foi inserida na discussão orçamentária no Congresso. Os valores pagos apenas em auxílios a magistrados é equivalente a todo o orçamento da cidade de Palmas no ano de 2018.

Cada um dos magistrados recebe R$ 5,8 mil de auxílios por mês, o que equivale a quase três vezes a renda média de um trabalhador brasileiro, segundo os dados do IBGE. Entre esses auxílios, o mais caro é o de moradia, que vale em média R$ 4.377,73 e é liberado sem necessidade de comprovação de aluguel. Em abril foram R$ 75 milhões gastos com esse auxílio.

O CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) não divulga, entretanto, os valores correspondentes a gastos com promotores e procuradores e valores de indenizações, sendo que em alguns casos fica impossível determinar os valores gastos.

Segundo Luciana Zaffalon da FGV, a soma dos privilégios dos membros do Judiciário fazem com que ultrapassem o teto constitucional, que é de R$ 33.733, o que faz com que seus salários sejam inconstitucionais, mesmo assim, se analisa o pedido de reajuste de 16% de seus salários.

Enquanto os trabalhadores enfrentam contratos de trabalho precários, desemprego e uma série de ataques vindos do governo para “conter” a crise econômica, o Judiciário, que decide de forma arbitrária quem pode ou não pode concorrer à presidência, pretendendo escolher a dedo o próximo presidente e mantendo Lula preso, quer ainda mais privilégios aumentando seus próprios salários. Para de fato conter a crise, diferente do que o governo e esse judiciário golpista falam, é necessário acabar com esses privilégios. Que os juízes sejam eleitos e revogáveis e que ganhem o mesmo que uma professora.




Tópicos relacionados

Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar