Educação

CAMPREV CAMPINAS

Jonas quer confiscar fundo de aposentadoria dos servidores municipais de Campinas

A prefeitura de Jonas ameaça confiscar o superávit do Fundo Previdenciário de Instituto de Previdência Social de Campinas (CAMPREV).

Danilo Magrão

Professor de sociologia da rede pública

sexta-feira 25 de novembro| Edição do dia

A intenção do prefeito é se aproveitar do fundo para outras destinações de gastos públicos. Na prática significaria o confisco dos recursos, esvaziando a reserva destinada aos trabalhadores no momento em que mais precisam, quando aposentados.

Jonas chegou a declarar que os recursos do CAMPREV eram do povo. Contudo, todo o recurso do CAMPREV é proveniente da contribuição descontada do salário do funcionalismo. A intenção de Jonas é tentar jogar a população contra os servidores municipais, enquanto sua prefeitura segue engordando os cofres dos poderosos.

A prefeitura dos cabides de emprego, que gasta milhões com isenções fiscais e subsídio para as máfias do transportes, suspeita de estar envolvida na máfia da merenda, promoveu o parcelamento do salário de parte dos servidores, o fechamento de unidades de saúde, fechamento de salas do Centro Cirúrgico do Mario Gatti e agora quer a aposentadoria dos servidores públicos.

A realidade em Campinas é semelhante de vários estados e municípios pelos país. Os ataques às aposentadores, e os ataques aos serviços estão na pauta do governo golpista de Temer, como acontece com as medidas da PEC 55 (antiga PEC 241) e a já anunciada nova reforma da previdência.

O sindicato dos trabalhadores municipais é controlado por fiéis apoiadores de Jonas, e por isso não esboçam qualquer movimentação de resistência à esse importante ataque. Porém os trabalhadores já estão se organizando e organizaram na última quinta-feira, 24, um importante ato para construir uma jornada de mobilização contra o confisco das aposentadorias.




Tópicos relacionados

Educação   /    Campinas   /    Economia   /    Política   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar