Política

Jonas em Campinas, prefeito contra o povo: aumento da passagem, água e IPTU

Danilo Magrão

Professor de sociologia da rede pública

Chico Nery

Professor da rede pública de Campinas

quinta-feira 4 de janeiro| Edição do dia

A prefeitura de Jonas começou 2018 sem vergonha de mostrar a que veio: governar contra os trabalhadores para manter os privilégios de uma casta política corrupta que governa essa cidade.

O presente de ano novo veio sem embalagem: o aumento da passagem de ônibus para R$4,70, a tarifa mais cara do país. Além dela, será reajustada também a água, que já acumula em 3 anos uma alta de mais de 50%. Junto com aumento do IPTU, temos um verdadeiro #TARIFAÇO contra o povo. Ao mesmo tempo, o governo atrasa o salário dos servidores ativos e o 13º dos aposentados, o que desatou importantes mobilizações dos servidores. Nessa sexta, um novo ato é convocado para as 7 da manhã na frente da casa do prefeito, e para as 10, em frente à prefeitura.

Pelas ruas e nas redes sociais a raiva é latente. Idosos e jovens percebem que o salário não alcança e que as contas não fecham. A cidade moderna dos sonhos, do trem-bala até o Rio de Janeiro, do prefeito forte que governaria abraçado e aliado com o PSDB de Alckmin e com o PT de Dilma, só serve aos empresários da MABE e da Unilever que podem manter seus altos lucros a custas de jogar milhares de famílias nas ruas. Seguimos sendo a cidade das ruas de terra nas periferias, dos acidentes de trabalho e do desemprego, da violência policial contra a juventude, de famílias colocadas na rua enquanto lutam por um pedaço de chão para seus filhos morarem. A Campinas do caos da saúde, em que milhões são desviados do Ouro Verde, enquanto as pessoas morrem nas filas, falta o básico para o atendimento no Mario Gatti ou Ouro Verde, pacientes ficam sem medicamentos nos postos de saúde, a UPA do centro é fechada.

Mas como segue governando? Encabeçada pelo PSB, com os apoios do PMDB de Temer e do PSDB de Alckmin, contando com o apoio de diversos setores, dentre eles os vereadores ligados ao DEM, e a uma série de partidos menores, a prefeitura de Jonas Donizette foi blindada frente ao enorme escândalo de corrupção do Hospital Ouro Verde no fim de 2017, que segundo as investigações envolveriam o alto escalão da empresa, da prefeitura e o Correio Popular, principal jornal de Campinas. Com uma ampla distribuição de verbas aos seus aliados, comprando votos diariamente, a ampla maioria dos vereadores votou contra a investigação, conforme noticiado em nosso portal.

Regada a privilégios de cargos comissionados e altos salários, temos uma máquina que governa de costas para os trabalhadores. Com sua campanha e de seus aliados paga pelos empresários do grupo Bellarmino que manda no transporte da cidade, pela Odebrecht e pela elite econômica, é assim que o PSB de Jonas e seus aliados arrecadaram mais de 2,5 milhões de reais para uma máquina eleitoral contra os trabalhadores. Inclusive setores que hoje se dizem de oposição, como o PCdoB de Gustavo Petta, passaram um mandato inteiro e duas eleições se beneficiando dessa máquina e votando leis contra a população.

Enquanto esse sistema capitalista seguir, os privilégios irão se manter. É preciso atacar os dois. Não podemos mais aceitar que cargo político seja profissão lucrativa: todo vereador e o prefeito dessa cidade deveriam ganhar o salário de um servidor municipal, de um professor de uma escola pública do munícipio. É preciso lutar contra esse aumento abusivo, participando da manifestação no dia 10 de janeiro. O transporte no último ano fez dezenas de vítimas fatais entre usuários, motoristas e pedestres. Somente um transporte de fato público, estatizado, controlado e gerido pelos motoristas, usuários e retomando a profissão de cobrador, pode colocar fim a máfia do lucro, impedindo a morte de idosos, mulheres e trabalhadores, assim como garantir passe-livre para estudantes e desempregados, e a redução radical da tarifa. Necessitamos da abertura imediata das contas da cidade, analisada pelas organizações populares, sindicatos e de direitos humanos, para saber para qual torneira está indo o vazamento do dinheiro da SANASA e da prefeitura para termos novamente um aumento da água e do IPTU.

É preciso uma alternativa dos trabalhadores em Campinas. A luta dos servidores municipais mostra o caminho, é preciso unificar a juventude e os trabalhadores em uma grande luta contra o #TARIFAÇO de Jonas. Nós do Movimento Revolucionário de Trabalhadores, através do portal de notícias Esquerda Diário, colocamos nossas forças a serviço dessa batalha.




Tópicos relacionados

Campinas   /    Política

Comentários

Comentar