Sociedade

CAMPINAS

Jonas Donizette quer jogar as famílias da Ocupação Mandela na rua em meio à pandemia

Cento e oito famílias correm o risco de serem despejadas em meio a pandemia pela reintegração de posse no terreno da Ocupação Nelson Mandela, marcada para ocorrer amanhã (31/08), em Campinas-SP.

domingo 30 de agosto| Edição do dia

A política de Jonas Donizette (PSB) é mandar novamente a Polícia Militar para despejar violentamente os moradores da ocupação, como já fez em abril de 2017 quando reintegrou ocupação anterior no Jardim Capivari.

A situação é ainda mais grave, já que Campinas está entre as cidades com maior taxa de mortalidade por Covid-19 do país. Um resultado também da política empresarial de Jonas que reabriu o comércio em meio à uma taxa de contaminação ascendente.

As famílias da Ocupação Mandela já lutam a 4 anos pelo seu direito elementar a moradia. Em janeiro de 2018, a Prefeitura se comprometeu a construir 200 unidades habitacionais para os moradores da Ocupação, mas que até agora não saíram do papel. Agora, Jonas se apoia no Poder Judiciário de Campinas para fazer com que sejam as 108 famílias que paguem pela negligencia da sua administração.

Despejar essas famílias é uma enorme brutalidade da política de Jonas, e mostra que, apesar de tentar se opor no discurso, seu interesse em descarregar a crise sanitária e econômica sobre os trabalhadores é o mesmo de Bolsonaro. Com as eleições municipais, Wandão (PSB), ex-secretário de Relações Institucionais de Jonas, quer dar continuidade a esta mesma administração anti-trabalhador como pré-candidato a vice-prefeito na chapa com Dario Saadi.

É necessário cercar de solidariedade os moradores da Ocupação Mandela em defesa de seu direito elementar a moradia, especialmente em meio a uma pandemia, e contra a brutalidade policial de Jonas Donizette. Não podem ser os trabalhadores e o povo pobre que paguem por esta crise. Mandela fica!




Tópicos relacionados

Jonas Donizette (PSB)   /    Campinas   /    Sociedade

Comentários

Comentar