Política

PRIVATIZAÇÃO SÃO PAULO

João Doria vai criar a secretaria de desestatização para vender São Paulo aos grandes empresários

segunda-feira 2 de janeiro| Edição do dia

Logo após o segundo dia de seu mandato, o novo prefeito João Doria anunciou em Diário Oficial que vai criar a Secretária Municipal de Desestatização e Parceira. De acordo com que está escrito no Diário Oficial ’’A Secretária Municipal de Desestatização e Parceira - SMDP tem por finalidade elaborar diretrizes, formular e coodernar parceiras estratégicas com o setor privado e para a instituição de plano de desestatização do Município de São Paulo, visando a melhoria na prestação dos serviços públicos municipais e maior eficiência administrativa da Prefeitura do Município de São Paulo’’.

Conforme escrevemos neste texto aqui, a posse de João Dória coloca a educação e saúde da cidade de São Paulo a venda. Como falamos neste texto, o novo prefeito de São Paulo já anunciou que vai aprofundar a parceira com os convênios da iniciativa privada para as creches de São Paulo e na Saúde vai implementar o ’’corujão’’, uma medida para usar o dinheiro público para financiar os hospitais privados.

Além disso, no ano passado, João Dória anunciou que caso fosse eleito, iria privatizar o Anhembi, o autódromo de Interlagos, o Pacaembu e os parques Ibirapuera, Carmo e Aclimação.

O fato é que estamos no segundo dia de seu mandato e João Dória já mostrou pra o que veio. Sua Secretária Municipal de Desestatização (eufemismo para privatização), mostra que o novo prefeito de São Paulo e milionário paulistano vai colocar a cidade a venda para os grandes empresários e banqueiros poderem lucrar a vontade. Estas privatizações são um ataque contra os trabalhadores e demais setores populares da sociedade.

Ao contrário do que demagogicamente fala, a secretária de desestatização não vai melhorar os serviços públicos, muito pelo contrário vai ser um mecanismo de Dória para sucatear ainda mais o setor público para poder justificar a privatização. 2017 começou e se depender de Dória e outros prefeitos gestores, os trabalhadores e demais setores populares da sociedade vão pagar pela crise que o país está passando.

É preciso organizar uma forte luta contra Dória e todos os governos que querem atacar os trabalhadores e demais setores populares da sociedade. Se no âmbito federal a CUT e a CTB mantém um acordo de trégua com o governo Temer, no âmbito do município de São Paulo, Haddad é cordial com João Dória. Com a postura que o PT vem tomando, estes ataques vão passar sem nenhuma resistência.

Abaixo, anúncio no Diário Oficial sobre a criação da secretaria:




Tópicos relacionados

Privatização   /    Política

Comentários

Comentar