Política

João Dória anuncia: não haverá aumento salarial para os servidores públicos

terça-feira 8 de novembro| Edição do dia

O novo prefeito de São Paulo, João Doria, disse nesta segunda feira que não haverá aumento dos salário dos servidores municipais em 2017. De acordo com o Doria em entrevista no programa Roda Viva: "Neste ano não teremos [aumento]. Não tem condição". João Dória disse que explicaria aos servidores ’’falando a verdade’’.

Além da pressão dos vereadores, o futuro prefeito de São Paulo deverá enfrentar greves de vários setores. Apesar do tucano não tenha detalhado isso na sua fala, a indicação é de que nem a reposição inflacionária nos salários dos servidores deverá ocorrer.

Com este medida, João Doria vai fazer com que os servidores municipais termine o ano ganhando menos do que começou. Com a crise econômica que o país está passando, isso indica necessariamente que os servidores municipais de São Paulo terão uma piora na sua condição de vida. Isto só reforça que o novo prefeito de São Paulo vai fazer com que os trabalhadores e setores populares da sociedade paguem pela crise que o país está passando.

Aprende logo com seu chefe Geraldo Alckmin, que deixa os professores estaduais com salários de fome, reprime e tenta fechar escolas públicas contra o movimento dos secundaristas, e todos os anos busca aplicar reveses às categorias que mais opuseram resistência na luta de classes, como os trabalhadores da USP e o Sintusp (Sindicato dos Trabalhadores da USP), ameaçado de despejo pela Reitoria tucana.

Enquanto Dória alega não ter dinheiro para dar reajuste para os servidores no ano que vem, o novo prefeito possui um patrimônio pessoal que dá para aumentar o salario destes trabalhadores. Para garantir que os trabalhadores não tenham uma piora na sua condição de vida, é preciso taxar as fortunas de grandes empresários como o novo prefeito da cidade de São Paulo.

Conforme denunciamos aqui, João Doria mora numa mansão e apartamento que da para colocar no lugar diversas casas populares. Mesmo com o discurso demagógico de Dória falando que irá cortar o seu próprio salário de prefeito, sabemos que ele estará longe de ser atingindo pela crise econômica que o país está passando.

João Dória quer seguir os passos de Geraldo Alckmin, para mostrar para os grandes empresários e banqueiros que a sua ala tucana pode implementar as medidas impopulares contra os trabalhadores e demais setores populares da sociedade. Para quem não lembra ou não sabe, Alckmin no ano passado deixou os professores da rede estadual de São Paulo sem aumento salario, mesmo com a categoria fazendo mais de 90 dias de greve.

Contra esta medida do novo prefeito de São Paulo, é preciso uma forte luta dos trabalhadores servidores público para garantir o reajuste salarial. Esta é uma luta contra o Poder Judiciário também, que encabeça os ataques dos golpistas votando no Supremo a restrição do direito de greve pela funcionalismo. Neste sentido é preciso que a CUT, CTB rompam com o pacto que fizeram com a direita e construa nestas categorias uma forte greve geral contra os ataques anunciados pelo os governos.




Tópicos relacionados

Greve   /    "Partido Judiciário"   /    Poder judiciário   /    USP   /    Política

Comentários

Comentar