Internacional

BERLÍM

Jeff Bezos recebe prêmio em Berlím enquanto trabalhadores da Amazon marcham em protesto

O chefe da Amazon recebeu em Berlim um prêmio por seu “espírito empreendedor visionário”. Do lado de fora, centenas de seus empregados de toda a Europa protestavam por seus baixos salários.

quarta-feira 25 de abril| Edição do dia

Foto: bz-berlin.de

Jeff Bezos é o homem mais rico do mundo, com uma fortuna avaliada em 125.000 milhões de dólares. Na quarta-feira recebeu o prêmio Axel Springer, por seu “espírito empreendedor visionário”. Como é que uma pessoa só consegue tanto dinheiro? Explorando a mão de obra de milhares e milhares de trabalhadores.

Durante a cerimômina de entrega de prêmios na Torre Axel Springer de Berlín, na quarta-feira de noite, centenas de trabalhadores da Amazon se reuniram ao lado de fora para protestar contra seu patrão. Exigiam melhores salários, representação sindical e o fim da vigilância constate. Os trabalhadores da Amazon são regularmente aterrorizados por seus patrões com as chamadas “conversas de feedback” (conversas de retorno). Dessa forma (com a manifestação) é queriam os trabalhadores darem seu próprio “feedback” para Bezos: “Nossos salários são baixos demais!”

Os trabalhadores se reuniram em seis Centros de Abastecimento diferentes em toda a Alemanha. O sindicato do setor de serviços, o ver.di, convocou uma greve. Também houve uma grande delegação vinda da Polônia, com bandeiras brancas e azuis, do sindicato Solidarność (solidariedade, em português) e bandeiras rubro-negras do sindicado anarquista-sindicalista Inicjatywa Pracownicza (Iniciativa de Empregados). Mais trabalhadores vieram de centros da Amazon do Estado Espanhol e da Itália, e dos Estados Unidos foram enviadas mensagens de solidariedade.

Marc Blanes, um trabalhadores e delegado do sindicato CGT no armazém da Amazon em Madri, informou sobre sua primeira greve desde 21 e 22 de março – 95% dos trabalhadores aderiram a greve! “Mas sabemos que só um centro de abastecimento não pode fazer nada contra um monstro gigantesco como a Amazon”, disse Blanes em seu discurso. “Necesitamos de uma greve europeia!”

O rali foi preparado pela burocracia do sindicato ver.di – que contratou uma banda profissional de samba e alugou equipamentos de som. Os discrusos foram feitos por Bernd Riexinger, co-lider do partido de esquerda DIE LINKE (À Esquerda, em português) e por Andrea Nahles, presidente do SPD socialdemocrata. Nahles foi vaiada quando tentou falar. As pessoas gritavam: “Vai à merda!” e “Quem nos traiu? Socialdemocratas!” Nahles, que foi Ministra do Trabalho de Merkel a cerca de um ano, e seu partido, são responsáveis pelas reformas trabalhistas que legalizaram os tipos de contratos limitados em que a Amazon se sustenta

Axel Springer foi o fundador de um império midiático de direita na Berlim Ocidental, como o Rupert Murdoch da Alemanha. Sua companhia, no entanto, publica o jornal mais lido do pais (se é que se pode chamar de jornal esse tabloid racista que é o BILD).

Tradução: Rafael Barros




Tópicos relacionados

Internacional

Comentários

Comentar