Política

REFORMA TRABALHISTA

Jean Wyllys-PSOL protocola projeto de anulação da Reforma Trabalhista

O Projeto de Lei 8181/2017 foi apresentado à mesa da câmara dos deputados para despacho. O projeto denuncia abertamente as ligações espúrias de Temer e sua base com os empresários e governando contra os trabalhadores.

quarta-feira 9 de agosto| Edição do dia

O deputado federal Jean Wyllys apresentou projeto de lei (veja aqui ) que propõe a anulação da lei da reforma trabalhista. A Lei 13.467 de 3 de julho de 2017 foi um dos maiores ataques orquestrados pelo governo golpista de Michel Temer. Agora, será apreciada na Câmara a proposta de anulação dessa lei.

As justificativas utilizadas no projeto de lei se baseiam na extrema impopularidade da reforma, desde as pesquisas relativas a votação recente até as propostas dos candidatos presidenciáveis na eleição de 2014. O texto ainda traz parecer da juíza Valdete Souto Severo que classifica a reforma como "melhor seria propor uma lei com um único artigo: fica revogado o Direito do Trabalho no Brasil".

Enumerando os diversos ataques a classe trabalhadora, como a terceirização irrestrita e o prevalecimento do negociado sob o legislado, presentes na Lei da Reforma Trabalhista, o projeto de Jean Wyllis conclui: “A Lei 13.467 é um atentado contra o Brasil, um retrocesso histórico, um ataque ao povo brasileiro e uma deturpação perversa da forma democrática, popular e republicana de governo. “

Desde o Equerda Diário e do MRT, sabemos que a reforma não será anulada somente com um projeto de lei. Por isso, viemos levantando a necessidade da esquerda utilizar de toda sua força para erguer uma grande campanha pela anulação da reforma trabalhista. Em nossa última declaração ressaltamos a importância da campanha pela auto-organização dos trabalhadores para “Tomar a Greve Geral em nossas mãos” e ressaltamos que: “Uma campanha desta, se tomada pelo conjunto da esquerda de forma decidida como o PSOL e as centrais sindicais da esquerda como a CSP-Conlutas e a Intersindical, colocando toda sua força material, parlamentares, espaço de TV poderia ter tido um enorme efeito contra a política traidora das burocracias sindicais e do PT.

Um efeito semelhante seria alcançado se hoje usassem sua força material para exigir a anulação da reforma trabalhista.” Hoje se mostra de fundamental importância que a Reforma Trabalhista seja anulada, por isso essa campanha não deve se ater somente aos gabinetes palacianos de Brasília, que sempre governaram de costas para os trabalhadores, mas deve-se ter como referência a força da classe trabalhadora demonstrada na greve geral do dia 28/04 e focar em como exigir das centrais sindicais traidoras que construam uma nova greve geral já!




Tópicos relacionados

Greve Geral   /    Reforma Trabalhista   /    #MRTnoPSOL   /    PSOL   /    Política

Comentários

Comentar