Política

GILMAR MENDES E J&F

J&F patrocinou em R$2,1 milhões instituto de Gilmar Mendes

Em meio a episódios escandalosos envolvendo o ministro do Supremo Tribunal Federal, surge a notícia de seu envolvimento com o grupo que controla a JBS. A pergunta que fica é: "quem paga a música escolhe a banda?"

quarta-feira 14 de junho| Edição do dia

O Instituto brasiliense de Direito Público (IDO), que tem como sócio Gilmar mendes, teria recebido cerca de R$ 2,1 milhões do grupo que controla a JBS (J&F). Tal patrocínio teria tido como objetivo a realização de alguns eventos pelo instituto.

Segundo matéria da Folha, teriam sido realizados cinco eventos, um deles sendo um congresso em abril, realizado em Portugal. Entretanto, o instituto afirmou que teria devolvido R$ 650 mil no dia 29 de maio, logo após a delação premiada de executivos da JBS, alegando que não utilizaram a quantia que teria chego após a realização do evento.

Prontamente Gilmar Mendes alegou não administrar o Instituto, então não poderia se manifestar em nome do mesmo. Manteve o silêncio frente a mais um fato envolvendo seu nome, sabendo que goza de impunidade pelo fato de ser juíz e ninguém o julgar.

Gilmar Mendes e o julgamento da JBS

Outra relação entre o ministro e a JBS, seria que a família de Gilmar vende gado para o frigorífico em Mato Grosso. Um ponto a mais de relação do juíz que estará no julgamento, com o acusado. Entretanto, Gilmar afirma que o comando das negociações está nas mãos de seu irmão, o que exclui qualquer motivo que poderia o afastar do julgamento.

A venda de carne da família para o frigorífico e o patrocínio ao instituto do ministro não são o suficiente para relacionar o que julga ao acusado, de acordo com a lógica de Gilmar Mendes. O mesmo ministro que já havia participado de casos como a absolvição de Aécio Neves, agora escancara mais um caso de arbitrariedade, mostrando que a Justiça está a serviço dos ricos.




Tópicos relacionados

JBS   /    Gilmar Mendes   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar