Sociedade

JUSTIÇA LENIENTE

J&F de Joesley compra 1.829 políticos e pagará por isso com o troco da corrupção

O que são R$8 bilhões para quem tirou uma receita de R$170 bilhões com base na compra da maior parte de políticos do congresso? Judiciário não quer combater a corrupção, para isso é preciso uma Constituinte para estatizar as empresas corruptas sob controle dos trabalhadores.

Ítalo Gimenes

Campinas

quinta-feira 25 de maio| Edição do dia

A J&F de Joesley Batista, que é dona da JBS, gastou bilhões para comprar a influência de inúmeros políticos no congresso que permitiram uma receita de R$170 bilhões só com a JBS. Conseguiram que um banco que o BNDS, cuja deveria ser fomentar o desenvolvimento social do Brasil, investisse mais de R$ 8 bi na JBS somente de 2007 a 2010, sendo hoje dona de 21% da empresa, chegando a aprovar R$ 287 milhões em empréstimos para a JBS antes de a companhia comprar as operações da Swift Co. na Argentina, em 2005, e contribuindo para tornar os Batistas numa das famílias mais bilionárias do mundo.

Mas para pagar acordo de leniência da delação que baseia a maior crise política desde o golpe, a empresa aceita pagar não mais que R$ 8 bilhões. O Judiciário que deu imunidade a Joesley fechou negócio. Fizeram toda essa riqueza sobre os membros decepados de trabalhadores, a JBS, “campeã em acidentes de trabalho”, e a Justiça nem cogita colocar isso na conta da negociação. Novamente grato por uma delação que deu tantos poderes para que essa instituição pudesse arbitrar na política nacional (o poder de decidir se Temer cai ou fica, por exemplo) conforme seus interesses ligados ao imperialismo, como quando facilitaram para que a empresa mantivesse a maior parte do seu capital nos EUA.

A Lava-Jato e o judiciário deixam as mãos livres dos grandes empresários (neste caso, internacionais), em um autoritarismo totalmente seletivo enquanto 40% dos presos do país sequer tem julgamento, e que são em sua maioria negros. Mais uma mostra que não vai ser das mãos do judiciário racista e burguês que beneficia grandes capitalistas como os irmãos Joesley e Wesley, que pode vir uma saída progressista para a crise política neste país, ou mesmo a resposta para o problema estrutural da corrupção.

Não é com esse Judiciário ou com uma nova cara na presidência, fruto de eleições diretas, que encontraremos uma resposta a esse problema. Mas será na luta dos trabalhadores e jovens, que na greve geral do dia 28 e na Marcha em Brasília ontem demonstraram grande força para derrubar Temer com suas mãos e impor uma Constituinte para derrubar as reformas, inclusive toda série de ataques que os empresários junto aos políticos aplicam sobre os trabalhadores e jovens, passando por Sarney, FHC, Lula, Dilma e Temer. Essa mesma constituinte, derrotando as reformas, tem tudo o que precisa para acabar com a corrupção no país, estatizando as empresas corruptas e colocando sob o controle dos seus próprios trabalhadores, fazendo com que sejam esses capitalistas que paguem pela crise!

Pode te interessar: 5 motivos para defender a expropriação da JBS




Tópicos relacionados

JBS   /    Sociedade   /    Poder Judiciário   /    Corrupção

Comentários

Comentar