Política

INSTITUTO LIBERAL

Instituto Liberal diz que física quântica é comunista: socialismo como desculpa para a ignorância

No artigo “A Complicação como método ideológico”, filosofia, economia, estatística e até física quântica são rotuladas como socialistas por, supostamente, serem impossíveis de entender.

sexta-feira 10 de novembro| Edição do dia

O Instituto Liberal, notório por frequentemente despejar verborragias anti-esquerda que embelezam o capitalismo como um sistema perfeito, recentemente publicou um texto que, em síntese, afirma que tudo o que não é de fácil compreensão imediata, serve para subverter valores tradicionais e implantar ideias socialistas.

Dentre as ciências que o autor alega serem socialistas estão filosofia, economia, estatística e até física! O texto foi tirado em poucos dias do ar, de certo se deram conta do ridículo, mas o texto ainda pode ser acessado aqui.

Percebe-se uma glamourização do senso comum, como condição natural na qual estaríamos para compreender valores morais e ideias simplórias. Conhecimentos mais aprofundados são coisas de perversos comunistas para confundir a mente dos bons cidadãos. As pessoas de bem só precisam saber que o capitalismo é belo e moral, que os valores cristãos devem ser respeitados e que as tradições devem ser mantidas.

Em filosofia não é surpresa: o pensamento crítico sempre foi alvo na mira da direita para tentarem impedir as pessoas de questionarem as contradições do sistema de miséria em que vivemos. Na verdade o ataque à filosofia, como a todas as ciências humanas está vindo para o concreto com o projeto “Escola Sem Partido”, que vem como carro chefe da ofensiva do conservadorismo para que nas escolas só sejam livres as ideias que a direita ache “natural”.

O socialismo é bode expiatório para a ignorância do autor, que enquadra economia, estatística e física em “complicações mentirosas” que supostamente estão distorcendo coisas que seriam simples. Para o autor, economia podia ter parado em Adam Smith, filosofia em Platão, física em Newton e estatística nem devia existir.
Supostamente, todos os filósofos modernos têm como única intenção desvirtuar os valores cristãos, estatística manipular dados contra a realidade, economia serve para sabotar o capitalismo que funcionaria perfeitamente e, se preparem, Einstein era um esquerdista que se infiltrou na física para naturalizar o uso de drogas.

Cada parágrafo que eu lia me dava vergonha alheia, vale destacar mais algumas pérolas da idiotice, como a descrição de procedimentos simples de estatística que seriam impossíveis de interpretar (pelo visto para o autor realmente é) e um momento no qual o autor cita George Orwell! Isso mesmo, o socialista que escreveu “A Revolução dos Bichos”.

“A Complicação como método ideológico” entra para o rol de pérolas verborrágicas difundidas pelos liberais brasileiros. É uma ofensa ao conhecimento e criatividade em diversas áreas importantíssimas para a compreensão e avanço da sociedade.
Atualmente o capitalismo já trata o conhecimento como mercadoria, destinado somente ao lucro das empresas, impede o livre desenvolvimento das ciências e torna o conhecimento científico inacessível à grande massa. Os liberais já parecem gostar dessa condição, e ainda querem piorar?




Tópicos relacionados

Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar