Política

PATRULHA IDEOLÓGICA LIBERADA PELO JUDICIÁRIO

Inquéritos sobre a blitz de Fernando Holiday em salas de aula são arquivados

O Ministério Publico de São Paulo arquivou dois inquéritos que investigavam “visitas” do vereador a escolas públicas.

terça-feira 1º de agosto| Edição do dia

Se apoiando no projeto Escola sem Partido, o vereador de São Paulo Fernando Holiday (DEM-SP) vinha fiscalizando escolas públicas, usando de sua posição parlamentar para intimidar professores e funcionários sobre o pretexto de essas escolas estarem vinculando conteúdos de “doutrinação ideológica”.

As denúncias foram feitas pelo vereador Toninho Vespoli e pelo deputado estadual Carlos Giannazi, ambos do PSOL, que o acusam de intimidação e abuso de poder. Um terceiro inquérito ainda está aberto Grupo de Atuação Especial de Educação do Ministério Publico.

O Escola sem Partido é um projeto absurdo que retira a autonomia dos professores em sala de aula, uma verdadeira mordaça que não permite o debate amplo e o avanço de consciência dos jovens. Além disso, reflete um grande desconhecimento por parte dos parlamentares da direita como é o caso de Holiday, que afirma haver uma “doutrinação ideológica” dentro das salas de aula quando, na verdade, os professores tem que fazer o que podem com salas super lotadas em escolas totalmente precarizadas.




Tópicos relacionados

MBL   /    Escola sem partido   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar